Capitulo 34

Capitulo 34: Os dois lados de uma face

.

Uma aura negra e roxa começa a rodear a Wave Nikr, ela transmite uma energia muito maligna e assustadora, se move como fosse uma chama, emitindo várias labaredas negras e roxas, a guerreira se levanta, mesmo com todos os ferimentos que tem, estes são muito graves e potencialmente mortais, mas não parece se importar com isso. Randgrior retira a mão rosto e sua face é finalmente revelada…ela é horrenda! A pele esta apodrecida e partes do osso do crânio estão expostas, as pálpebras secas mal cobrem seus olhos desidratados, seus lábios estão apodrecidos e mal cobrem seus dentes. Se Mime não estivesse vendo ela de pé, juraria que a mulher estava morta e a muito tempo, os olhos do guerreiros também começam a doer, então ele os fecha e os cobre com a mão direita, porém a imagem do rosto horrendo persiste em sua mente, a figura lhe causa muito desconforto e muita dor!

.

Mime: O que está acontecendo?

.

Randgrior: Quando você quebrou minha mascara Mime, revelou minha face e liberou a maldição dela agora nem eu posso impedir o seu destino

.

Mime: Destino?

.

Randgrior: Você morrerá em poucos minutos Mime, e isso é inevitável

.

Mime não entende o que a guerreira quer dizer, como a visão do rosto dela poderia matá-lo? Alias como ela permanecia se movendo se todo seu corpo parecia estar morto? Obviamente era um ser que estava entre a vida e morte, pessoas de fora de Asgard a chamariam de um Zumbi, ou de um Morto-vivo. Mime só conhecia um ser que podia viver em um estado semelhante, era a deusa da morte, Hel…Será que Randgrior tinha alguma ligação com ela?

.

Mime: Porque minha morte é inevitável? O que está acontecendo comigo? Nunca me senti tão…

.

Randgrior: Fraco….seco….Negro?

.

Mime fica muito surpreso, Randgrior tinha acabado descrever exatamente como ele estava se sentindo, como se ela soube-se como é se sentir assim

.

Mime: Você está me tornando igual a você?

.

As palavras de Randgrior expressam certa satisfação

.

Randgrior: Ótima dedução Mime! A visão da minha face causa um efeito direto em seu espírito. Como deve saber toda a alma possui um lado escuro e um lado luminoso, os dois vivem em equilíbrio, permitem que tomemos decisões e mantém a estabilidade da mesma. Meu rosto libera uma onda negra que faz a escuridão do seu espírito aumentar enquanto a luz diminui

.

Mime cai de joelhos, suas forças parecem abandoná-lo

.

(Mime): A escuridão dentro de mim esta aumentando, tenho que fazer algo…espera!

.

Mime percebe algo, talvez houvesse algo que pudesse fazer para pelo retardar aquela maldição. Então começa a concentrar o pouco cosmo que lhe resta, na sua tremula mão direita

.

Mime: SUNLIGHT HEART(CORAÇÃO DE LUZ SOLAR)

.

Uma pequena bola de luz começa a se formar na mão direita do guerreiro, ela emite vários raios de luz como um pequeno sol, Randgrior observa Mime intrigada

.

Randgrior: O que pretende fazer? Acha que pode vencer minha escuridão com sua luz? Hum acha que ela pode entrar em meu espirito?

.

Mime sorri e ergue sua mão

.

Mime: Não quero vencer a sua escuridão, quero vencer a minha!

.

Mime gira o braço e começa a forçar a bola de luz contra seu peito, varias ondas de energia luminosa começam a se manifestar a partir do guerreiro, como se a energia da bola estivesse lutando contra a escuridão que tomava a maioria de sua alma . Randgrior cobre seu rosto parcialmente para se proteger da luz que a deixava quase cega

.

Randgrior: Pare Mime! O confronto destas forças vai fazer seu espírito explodir!

.

Mime não pára de forçar a bola de luz contra seu peito, tudo aquilo lhe causa muita dor, todo seu corpo implorava para que parasse, mas não podia desistir, está poderia ser a única chance dele! Finalmente depois de muita dor e esforço a bola de luz penetra em seu corpo, o guerreiro solta um grande urro de dor!

.

Mime: AAAAAAHHHHH!

.

Seu corpo e seu espírito pareciam que iam explodir a qualquer momento, mas agora consegue se mexer,  dor continua, mas está muito menor e os ferimentos pararam de surgir. Sente que seu corpo finalmente se estabilizou.Mime se levanta, está ofegante, suor escorre de seu rosto, muitos raios de luz saem do centro de seu peito e uma aura branca envolve seu corpo, a luz de seu cosmo conseguiu equilibrar a crescente escuridão em seu espírito. Randgrior está impressionada com a reação e engenhosidade do guerreiro, porém ainda está certa de sua vitória pelo menos tenta acreditar nisso, Mime tinha que morrer! Ninguém poderia viver depois de ter visto seu rosto! Aquela imagem horrenda tinha que permanecer escondida de todos até mesmo dela!

.

Randgrior: Você não vai conseguir muito tempo com isso, seu espírito não vai agüentar tanta energia, a escuridão vai continuar aumentando. Tudo que fez foi aumentar seu tempo de sofrimento

.

Mime sábia que aquilo era verdade seu espírito estava a ponto de explodir, tinha que descobrir uma forma de parar a influencia de Randgrior sobre sua alma, mas como? Se pelo menos soubesse a origem deste poder, como ela podia se manter com um espírito completamente negro, talvez se soubesse poderia achar uma forma de vencer….

.

(Mime): Como vou fazer para descobrir a origem do poder dela?….Espera! Agora me lembro!

.

Mime se recorda da sua luta com Ikki de Fênix e de como o cavaleiro fez que seu passado se revelasse com o Golpe Fantasma de Fênix, se pelo menos ele pudesse fazer algo parecido… Neste momento lembra-se de outra fala de seu criador: Folkein: Mime se você puder controlar a luz tudo será possível!

.

(Mime): A luz… é isso!

.

Mime percebe a solução, então começa a concentrar energia na sua mão direita, uma pequena bola  luminosa surge nela e o guerreiro a aponta para Randgrior, que fica apreensiva

.

Randgrior: O que pretende fazer? Porque não aceita logo que sua morte é inevitável! Não pode continuar vivendo depois de ver meu rosto!

.

Mime: Eu não posso morrer aqui! Entendo que sinta vergonha e medo de seu próprio rosto…mas será que foi sempre assim? Como seu rosto e seu espírito ficaram desta forma?

.

Randgrior se mostra alterada, aquelas perguntas lhe traziam muitas lembranças tristes, lágrimas grossas saem de seus olhos secos, enquanto  tenta afastar aquelas memórias horríveis

.

Randgrior: Isso sempre foi assim! …Snif Não é da sua conta!

.

Mime aumenta seu cosmo, a luz em sua mão começa a emitir vários flashes

.

Mime: Será mesmo? Conte-me Randgrior! Revele seu passado e sua origem! Traga-as para a luz! SUNLIGHT FLASH (FLASH DE LUZ SOLAR)

.

A bola de luz emite vários flashes de diferentes cores e em diferentes freqüências, Mime está usando a luz para manipular Randgrior, hipnotizando-a para que revele seu passado, a guerreira tenta resistir, mas parece impossível. Com suas mãos na cabeça despenca de joelhos no chão, em prantos, seu corpo é envolvido por uma aura triste melancólica.

.

Randgrior: Pare ….aaahaaam! Por favor! Eu…

.

Mime fica apreensivo, os sentimentos da guerreira eram muitos intensos, suas memórias deveriam ser muito ruins. Como guerreiro deus, sentia receio em causar este tipo de sofrimento a alguém…mas não tinha escolha!

.

Mime: Sinto muito, mas não posso. Diga-me! Diga-me o que aconteceu AGORA!

.

Os flashes de luz penetram nos olhos de Randgrior sua mente se enche de luz, imagens começam a surgir palavras narrativas começam a ser ouvidas. Porém não existe só uma voz falando, mas duas. Uma é de Randgrior e a outra é a de Raogrior que está contando a mesma história a Thor de Phecta. A história das duas começa a aparecer….

.

————————————

Randgrior/Raogrior: Meu pai era um homem muito belo… Muitos o consideravam o mais belo de Asgard, era comparado a deuses como Frey, Thor, ou Balder o próprio deus da beleza, o qual tinha inspirado seu nome: Baodur…Era cobiçado por inúmeras pretendentes, mas só amava uma mulher…minha mãe Nutt

.

Passado narrado por Randgrior e Raogrior——————————-

Um casal pode ser visto. O belo homem possui cabelos longos e loiros, olhos castanhos e traços quase divinos, sua expressão serena lembra muito a de Raogrior. Está usando uma roupa de couro simples com uma grande capa de pele que lhe garante proteção contra a neve que envolve todo o ambiente. A mulher também é bela, possui cabelos arroxeados e olhos profundos e negros como a noite, estes lembram os olhos profundos de Randgrior, só que com mais vida. A mulher esta usando um vestido branco com detalhes pretos, é também protegida por uma grande capa de pele branca. Os dois andam por uma floresta cheia de neve, típica das regiões geladas do norte como Asgard, parecem felizes e apaixonados, seus corpos estão juntos para amenizar o frio um do outro, sensações de conforto e calor humano podem ser sentidas ao redor

.

Randgrior/Raogrior: Os dois se amavam e queriam ficar juntos para sempre… Meu pai tinha recusado inúmeras propostas de casamento, rejeitado varias pretendentes, inclusive mulheres belas, ricas e até mesmo poderosas… Só queria ficar com minha mãe. Mas tudo mudou numa noite de inverno, pouco tempo depois deles se casarem e consolidarem seu amor, meu pai caçava pela floresta para saciar um súbito desejo de minha mãe

.

No passado, Baodur pode ser visto na floresta escura e cheia de neve, está armado com um arco e um machado, e procura por pistas de seu alvo, um cervo. Quando avista um se esconde atrás de um tronco para mirar em sua preza, seus braços fazem movimentos silenciosos enquanto prepara seu arco. De súbito uma lufada de vento assusta o animal, Baodur se prepara para correr atrás dele, quando um calafrio profundo o atinge, uma sensação fria sobe por sua espinha como se tivesse sido tocado pela própria morte! Do nada uma nevoa cinza o envolve, tomando toda a área a sua volta, o nevoeiro é tão denso que impossível ver além deste. Mais um calafrio o atinge enquanto uma figura surge em meio às sombras, está aos poucos toma uma forma feminina, que veste um longo e leve vestido preto e branco. O cabelo da figura também é metade preto e metade branco, a metade preta, a direita está para trás mostrando a bela metade do rosto de uma mulher jovem de olhos negros, enquanto a metade branca a esquerda  está cobrindo a outra metade do rosto tentando  esconder o que parece ser metade da face de um cadáver. Baodur logo percebe que está diante do ser divino que representa a morte, a dama de duas faces! Hel, a deusa da Morte!

.

—————————————————

.

O corredor do castelo de Njord está irreconhecível, as paredes e chão estão negros com marcas de queimadura, os enfeites de metal que cobriam as a paredes estão derretidos, pequenas labaredas dançam no ar, enquanto linhas de fumaça saem das paredes quentes. No meio de toda a destruição, Siegfried está deitado de bruscos no chão, desmaiado dentro de uma poça de seu próprio sangue, que continua quente e soltando pequenos véus de fumaça cinza. O guerreiro está coberto por uma teia do líquido carmesim que saiu de seu corpo, esta pulsa lentamente alternado entre cores vermelhas e douradas, como se tenta-se curá-lo, porém o esforço parece inútil e o pulso esta cada vez mais fraco, o sangue dos ancestrais esta perdendo suas forças.  Logo o guerreiro lendário vai morrer, sem completar sua missão, sem recuperar sua honra, sem salvar sua amada…iria falhar com ela mais uma vez…e a deixaria perdida nas garras de Loki…

.

(Siegfried): Não! Não posso … Não vou, deixar isso acontecer!

.

O guerreiro não consegue pensar direito, o simples pensamento de tentar levantar, já é complexo demais, tudo que consegue fazer é se arrastar, suas mãos agarram o chão com um único objetivo: seguir em frente! Não sabe para onde indo, mas não pode ficar lá, não pode desistir! Um pulmão está colapsado, repleto de sangue, o outro comprimido pelo sangue que preenche seu tórax, sua respiração está fraca, cada movimento lhe causa dor, tudo que lhe mantém vivo é seu sangue de dragão e só sua determinação lhe permite seguir em frente!

.

Relâmpagos começam a se manifestar no corredor, aos poucos eles convergem formando uma boa de energia, esta começa a adquirir uma forma uma humana, logo Gunnr surge no corredor

.

Gunnr: Nossa que poder! Se eu não tivesse me tornado energia, teria sérios problemas… Mas onde estão o senhor Frey e o Sieg…

.

Neste momento a guerreira avista o guerreiro deus se arrastando pelo chão, aquilo lhe deixa sem palavras, o que fazia esse guerreiro seguir em frente? Se aquela mulher era importe ao ponto dele arriscar e sofrer tanto, não deveria ser certo impedi-lo. Pensado nisso tenta ir ate Siegfried para ajudá-lo, porém uma grande luz surge do nada entre ela e o guerreiro. No centro desta luz está a espada de Frey

.
Frey: Afaste-se dele Gunnr!

.

Do meio das sombras um ser luminoso surge, Frey o deus da prosperidade está muito alterado, seu rosto, normalmente calmo e sereno, está agressivo e cheio de sangue quente, o líquido vermelho também cobre toda sua Disna. Seus punhos fechados e trêmulos, cheios de raiva, mostram sinais de pequenas queimaduras que ilogicamente marcam seu corpo divino.

.

Frey: Ela é tão importante assim Siegfried? Mesmo depois de perder todas suas forças você continua se arrastando por ela? Atreve-se a desafiar seus aliados e seus deuses por ela….?! Toda minha alma quer matar você, pela dor e desonra que me causou, mas não posso…!

.

O punho de Frey contrai com a raiva contida

.

Frey: Porém vou garantir que nunca mais desafie os deuses! Você ficará dormindo até que eu decida o contrario!

.

Frey levanta seu braço, a espada para brilhar e se direciona para o guerreiro, preparando-se para dar o golpe final, então o deus fecha os olhos e abaixa sua mão, Dáinsleif obedece a seu dono e ataca Siegfried, porém algo se coloca no caminho dela.

.

Gunnr: Chega senhor Frey! Não posso mais ficar vendo isso!

.

Gunnr surge como raio para impedir a espada, seu corpo não é mais solido, a energia de Dáinsleif é muito grande para que a segure na forma normal. Em vez disso a guerreira se mostra apenas como uma forma humanóide de energia elétrica, porém que ainda veste sua Disgae. Assim segura a lâmina da arma, usando todo seu cosmo para impedir o avanço desta. Frey abre seus olhos de surpresa e revolta

.

Frey: Você também se atreve a me desafiar por ele! Por quê?

.

Gunnr: Não posso ficar parada! Não sente a determinação e o amor dele? Um sentimento tão forte não devia ser censurado! Siegfried é um retrato de um guerreiro deus perfeito…eu posso sentir a justiça em seus atos! Ele não estaria vivo se não estivesse certo, não chegaria até aqui se a justiça não estivesse do lado dele! A grande mãe não deixaria!

.

Frey: Está indo contra seu deus e contra seu dever!

.

A forma elétrica de Gunnr não demonstra expressão, mas sua voz é cheia da determinação

.

Gunnr: Meu dever, como Wave Nikr é proteger a justiça acima de tudo!

.

Frey fecha os olhos e dá suspiro, sua voz fica mais calma, no fundo sentia que Gunnr estava certa, mas o que estava lhe pedindo era impossível!

.

Frey: Seu censo de dever é admirável Gunnr…mas não se aplica a esta situação

.

A espada de Frey emite um grande pulso de energia que joga Gunnr para longe, fazendo com que bata na parede do corredor, então a arma volta a se direcionar para Siegfried. Mas neste momento, ilogicamente, uma grande tempestade começa a se manifestar dentro do corredor, a água começa a agrupar na forma de um remoinho gigantesco que se interpõe entre Siegfried e Dáinsleif. Aos poucos este começa a diminuir formando uma estrutura circular cheia de pontas, como uma flor semi aberta feita de águas caudalosas, tão bela quando ameaçadora, no meio deste estranho fenômeno o deus da Tempestade surge

.

Njord: Acho que isso já é o suficiente Frey!

.

———————————————————————–

.

No céu cheio nuvens de tempestade do Vanaheim, dois guerreiros estão parados no ar tentando entender o que acabaram de sentir. Um deles possui uma bela armadura laranja baseada em um dragão, enquanto a outra usa um traje negro que lembra um corvo

.

Munin: Você sentiu Fimbul?

.

Fimbul: Sim eu senti, o cosmo de Siegfried acabou de atingir um pico gigantesco e agora está quase se apagando

.

Munin: Eu também senti outro cosmo, era extremamente poderoso….só poderia pertencer a um deus, acredito que seja de Frey.

.

Fimbul se mostra muito apreensivo com a situação.

.

Fimbul: Algo muito grave  deve ter acontecido na ilha central…mas não é só isso que está me preocupando

.

Algo muito estranho estava acontecendo, as nuvens de tempestade estavam ficado cada vez mais carregadas, o mar abaixo dos guerreiros estava muito violento. O vento está soprando, como um grito de raiva e sofrimento, uma presença aterradora pode ser sentida e tudo parece ficar mais intenso quando os guerreiros se aproximam do norte…algo muito sério está para acontecer!

.

Fimbul: Estou sentindo uma presença muito forte no norte. Não sei o que fazer, temos que averiguar o que é isso, mas também não podemos abandonar Siegfried, ele parece estar com problemas!

.

Acima de tudo Fimbul queria evitar ao máximo se separar de Hina…desde do que aconteceu na ilha Sudeste o guerreiro sente que logo não poderá mais ficar com ela, algo do fundo de sua alma lhe fala isso, por isso queria ficar o maior tempo que pudesse ao lado de sua amada. Além disso, ficava preocupado, com o que poderia acontecer, com ela, se estivesse sozinha, a situação nos dois locais parecia muito grave para qualquer um deles enfrentar sozinho, mas parece que não havia opção.

.

Fimbul: Hina…

.

Munin percebe a intenção de Fimbul em suas palavras, ele só falaria seu nome se quisesse falar com ela não como guerreiro, mas sim como o homem que ela amava

.

Munin: Eu já entendi Fimbul, eu…

.

Neste momento uma voz surge na cabeça de ambos, pertence a uma pessoa importante para Munin e por quem Fimbul possui um grande respeito, Hugin de Corvo Direito

.

(Hugin): Não precisam se preocupar com isso… Eu vou cuidar do que está acontecendo no norte, vocês podem ir ajudar Siegfried

.

Munin não pode evitar de ficar preocupada, o que quer que estivesse acontecendo ao norte poderia ser muito perigoso para seu irmão enfrentar sozinho

.

(Munin): Mas Dimitri… é muito…

.

(Hugin): Eu sei que é perigoso! Mas entre nós três, eu sou o que tem a maior habilidade de se camuflar e investigar,  por isso sou o mais indicado para averiguar o norte. E Fimbul, você é o que conhece melhor Siegfried, você deve ir para lá!

.

Fimbul confia no guerreiro, mas não evitar de se preocupar com a segurança de seu companheiro

.

(Fimbul): Tem certeza que…

.

(Hugin): Confie em mim Fimbul, vá para onde você é mais necessário e Hina posso sentir que você também precisa ir para lá

.

Os três guerreiros não falam mais nada, era obvio que já sabiam que aquela era a melhor solução, qualquer comunicação só seria perda de tempo, então todos se direcionam para onde devem ir

.

Passado de Randgrior/ Raogrior———————————————-

.

O belo homem do passado, Baodur, o pai de Randgrior e Raogrior, está paralisado na frente da deusa da Morte, sua figura lhe causa terror, lhe faz perguntas a si mesmo como: Será que chegou sua hora? Será que vai morrer? …e milhares de outros pensamentos que passariam na cabeça de um homem que se vê na frente da morte. Porém apesar da situação a deusa não parece ser agressiva.

Raogrior e Randgrior voltam a narrar

.

Raogrior/ Randgrior: A deusa da morte não queria a vida de meu pai, ela queria algo mais precioso, seu coração! Ela, como muitas outras mulheres, admirava a beleza de meu pai e queria que ele fosse seu companheiro, em troca prometeu que lhe daria riquezas e prazeres inimagináveis e algo que só um deus poderia oferecer, a imortalidade. Em resumo tudo que qualquer homem poderia querer desde que ele viesse ao Helheim com ela….Mas meu pai recusou, porque amava minha mãe, mais do que tudo e recusaria qualquer sonho para  poder ficar com ela…. Porém a deusa da morte não entendeu os motivos do meu pai, pensou que ele não queria ficar com ela por causa de sua aparência, e tudo o discurso do meu pai sobre amor, não passava de uma tentativa de enganá-la… Afinal que homem seria louco o suficiente para recusar tanta riqueza, só por causa de uma mulher. Hel se enfureceu e lhe disse que iria forçá-lo a amar alguém com a mesma aparência, que segundo ela, meu pai repugnava, assim a deusa da morte lhe rogou uma maldição,

.

No passado a face de Hel pode ser vista, palavras pesadas e negras saem da uma boca, a névoa em volta dela fica diferente, mais carregada se tornando nuvens negras de tempestade, relâmpagos passam pelas nuvens periodicamente

.

Hel: Tu que presas tanto a tua beleza e da vida a sua volta, serás forçado a amar algo morto, terás que achar isso belo, porque ninguém  mais achará. Todos irão desprezá-la, mas tu irás amá-la! Porque ela vira de dentro de teu corpo, será tua primeira e única cria, tua descendente será como eu!

.

Relampagos iluminam a noite, com a exclamação da morte

.

Hel: Que os outros deuses sejam minhas testemunhas que tua filha sempre estará entre a vida e morte e será um retrato da passagem do tempo. Um lado representará o inicio e o outro o fim da vida, uma metade viva e a outra morta! Hoje e em todos os outros dias deste tempo, neste e em todos os outros mundos, tu terás que carregar este fardo! Darás amor e vida ao que deveria estar morto! Baodur o belo, pela grande mãe, eu te prometo isso!

.

As duas irmãs voltam a narrar

.

Raogrior/ Randgrior: Meu pai implorou para que a deusa retira-se essa maldição, já que não queria causar o sofrimento de viver desta forma a uma criança, principalmente se esta fosse a filha dele mas não adiantou

.

No passado, pode-se ver Baodur de joelhos implorando que Hel retira-se a maldição, mas era inútil, a deusa da morte o ignorava virando de costas e desaparecendo junto com a névoa que ela mesma criou. O homem então começa amaldiçoar o destino em prantos, pássaros voam assustados pelo barulho

.

Voltando à narração

.

Raogrior/ Randgrior: Depois de muito pensar meu pai percebeu que só havia uma solução para salvar sua futura filha do terrível destino, ela não poderia existir! Não teria mais nenhuma descendência. Iria abandonar minha mãe, não queria que ela vivesse sozinha para resto da vida, só porque não podia ter filhos. Mas como se fosse uma ironia do destino, antes que meu pai encontrasse uma forma de dizer isso a minha mãe, ela disse que estava grávida. Meu pai ficou sem opção, não poderia abandonar minha mãe grávida, ela não encontraria ninguém para cuidar dela e nunca poderia matar uma criança, um ser inocente que não tinha culpa ou noção do que aconteceu.

.

Pode-se sentir o desespero de Baodur enquanto tentava encontrar alguma solução para o problema. Ele se perguntava por quê? Porque o destino lhe colocou nesta situação? Como os deuses justos poderiam permitir que uma criança sofresse tal tormento?

.

Raogrior/ Randgrior: Meu pai não  conseguiu contar a verdade a minha mãe, não havia uma forma possível! A única que pôde fazer foi rezar! Implorar aos deuses que retirassem a maldição! Rezou a todos os deuses que conhecia, inclusive àqueles que sábia que pediriam algo em troca, ele ofereceu a própria vida para salvar sua filha da maldição.

Eu nunca soube se os deuses atenderam ou não as preces de meu pai…o fato é que o embrião se dividiu e nasceram duas crianças, uma era o retrato da perfeição e beleza…parecia que maldição tinha sido tirada. Porém a outra menina nasceu fria, respirava, ria e chorava, mas sua pele era seca como um cadáver e aos poucos começou a apodrecer com um corpo em decomposição. Enquanto uma era uma criança perfeita e bela a outra se tornou um monstro e enquanto uma nunca ficava ferida ou doente, a outra perdia a pele espontaneamente e seu corpo parecia sempre prestes a entrar em colapso!

.

Tanto Mime quanto Thor ficam impressionados ao saber como as irmãs de suas adversárias são. Nunca tinham visto duas pessoas tão diferentes e ao mesmo tempo tão iguais! Randgrior e Raogrior eram dois lados de uma mesma moeda, completamente opostas, mas ainda assim as duas faziam parte do mesmo todo, as duas se completavam e só juntas poderiam ficar em equilíbrio. Segundo estes princípios elas continuam a narrativa

.

Raogrior/ Randgrior: Minha mãe logo percebeu que havia algo errado com suas filhas e meu pai não teve escolha, senão contar a verdade a ela. O pior aconteceu, ela enlouqueceu! Amaldiçoava o destino, os deuses e qualquer coisa que achasse que tinha alguma culpa do que aconteceu, tentava qualquer bruxaria para retirar a maldição da suas filhas. No final começou a acreditar piamente que o a única forma de curar Randgrior/a mim era lhe/me dar uma vida . Está idéia maluca levou minha mãe a cometer suicídio na esperança de salvar sua filha, mas não adiantou! A luz da vida dela não penetrou no espírito negro de sua filha! Meu pai então nos criou da maneira mais igual possível. Nosso espírito completamente oposto, feito só de luz ou só de escuridão, nos permitiu interagir com mundo de uma forma completamente diferente. Nós desenvolvemos formas de interagir com a luz e a escuridão ao nosso redor e isso nos permitiu descobrir a energia do cosmo! Com está energia podíamos mudar quase tudo….

.

Como se fossem um só individuo Raogrior e Randgrior falam da mesma forma, e tem a mesma pausa de decepção, ambas não estavam satisfeitas com o que eram e gostariam de poder mudar isso mas…

.

Raogrior/ Randgrior:…Mas não podíamos mudar quem nós éramos, mesmo assim nosso potencial no cosmo chamou a atenção dos deuses, mais especificamente de Aegir, ele acreditava que nos podíamos ser as Wave Nikr da Luz e Escuridão desta geração e assim nos tornamos o que somos hoje

.

A imagem das duas se tornando Wave Nikr surge, quando elas vestem suas Disgae tudo se torna um misto de branco e preto, tudo é tomado por um clarão e ao mesmo tempo é engolido pela escuridão, desta imagem paradoxal e difícil até de imaginar a realidade surge novamente.

.

——————————————-

.

Randgrior parece estar recuperada e começa a se levantar, enquanto Mime está chocado. Está arrependido por fazer Randgrior passar por tudo isso, tudo que gostaria de fazer é se desculpar, mas era tarde demais!

.

Mime: Randgrior,…. eu sinto muito …eu não

.

Randgrior interrompe sua voz ainda é roca e negra, mas sua aura parou de ser melancólica e voltou a ser assustadora

.

Randgrior: Não queria! Não sabia!? Ninguém nunca quer….ninguém nunca entende! Todos que me conhecem peçam que, sou apenas um monstro

.

Mime não pensava assim, queria de qualquer compensar pelo que fez. Durante a historia pode sentir o sofrimento de Randgrior ninguém deveria ser obrigado a sentir aquilo

.

Mime: Não Randgrior, eu nunca achei…

.

Randgrior não ouve o que Mime diz. Sua raiva pode ser sentida por todo o local, sua aura negra e roxa transborda pelo seu corpo deformado fazendo tudo tremer!

.

Randgrior: Calado…!Desde que me tornei uma Wave Nikr, decidi que, se todos me vêem como monstro, então eu vou ser um! Eu sou o monstro da escuridão que tudo mata e destrói! E ninguém que me vê como realmente sou pode continuar vivendo!

.

Randgrior estende sua mão, sua aura negra começa a tomar a forma de uma grande face monstruosa, a fera da escuridão que engoliu Mime volta a surgir. O guerreiro da um passo para traz ao ver a personificação o terror, o monstro negro avança e engole tudo, deixando somente um espaço negro para trás

.

———————————————–

.

Siegfried só ouve gritos, só vê relâmpagos e luzes safiras, só sente sofrimento e raiva, será que teria falhado? No queria teria falhado afinal? Tudo está muito confuso, para dizer o que ele estava tentado fazer, era até mesmo difícil dizer quem ele era… Mas tudo muda quando um corpo surge, uma mulher sofrendo, chorando ajoelhada no chão. Veste um vestido azul claro como o gelo que se confunde com seu cabelo que possui a mesma cor, de súbito ela grita

.

Mulher: SIEGFREID!

.

Como um turbilhão tudo fica claro, as memórias de Siegfreid voltam e só um nome surge em sua boca

.

Siegfried: HIIIIILDAAAAA!

.

O Guerreiro volta à realidade gritando o nome de sua amada! Logo percebe que está numa cama, água está aderida a todo seu corpo como uma teia, o liquido brilha alternadamente de forma mística e estranha. A água estava curando seu persistente ferimento e recobrando suas forças. Siegfried percebe que está num quarto circular, a parede, feita de tijolos de pedra, não possuía muitos detalhes, na frente dele existe uma grande janela e próximo a esta está um homem. Este apesar de sua roupa simples, semelhante à de um pescador, transmite uma grande aura serena, trêmula como a água, seus cabelos e barba negros marcam seu rosto. O homem segurava um remo como se fosse um cetro, não era preciso conhecer-lo para saber quem era

.

Homem: Então acordou

.

Siegfried: Njord…!Então, finalmente nos encontramos!

.

Njord se vira e se aproxima de Siegfried enquanto este se levanta, o guerreiro queria encarar o deus com a maior igualdade possível, o que queria pedir a Njord era muito importante

.

Njord: Siegfried…você lutou tanto para chegar até mim e porque?…Pelo o que eu vi da sua luta com meu filho, você quer salvar Hilda. Quer sair daqui, para resgata-la, mas eu lhe pergunto: O que quer de mim?

.

O tom de Siegfried é de decisão, não existe duvida em seu olhar

.

Siegfried: Eu quero que o senhor me tire daqui! Você criou a barreira que está em volta deste mundo e é você que está coordenando todo este teste, por isso, sei que pode me tirar daqui. Eu preciso ir até o Helheim para salvar Hilda agora! Não posso esperar que o teste acabe!

.

Njord não se mostra intimidado ou surpreso com as palavras de Siegfried, na verdade permanece calmo é superior todo tempo…seu olhar expressa uma certa decepção

.

Njord: Ham…É ingenuidade pensar que tudo isso é apenas um teste, mas mesmo assim como pretende entrar no Helheim? Você já viu que existe um escudo em volta dele, uma barreira que nem um deus pode atravessar…como vai passar por isso?

.

Siegfried:Eu senti o cosmo de Hilda daqui!

.

Njord não pode evitar repetir o guerreiro, aquilo lhe deixava muito surpreso, era difícil acreditar que isso fosse possível!

.

Njord: Sentiu o cosmo dela?

.

Siegfried: Isso mesmo, a ligação que existe entre nós, permitiu que o cosmo dela passasse pelo escudo de Loki, atravessa-se todo o espaço entre os dois mundos e atravessasse seu escudo…tal ligação deve me permitir atravessar o escudo de Loki!

.

As palavras de Siegfried fazem Njord entender muitas coisas, agora sábia como a crise que acontecia neste mundo tinha começado e mais importante, agora via uma forma de resolvê-la. Isso lhe deixa perdido em seus pensamentos enquanto o guerreiro continua

.

Siegfried: Njord! Eu entendo que provavelmente tem um plano, para nos reunir aqui, mas eu confio nos meus amigos, sei que eles podem fazer qualquer coisa que queira. Eu agradeço o que fez por mim… me ajudou a me fortalecer e a entender muitas coisas, então agora eu sinto que sou mais necessário para Hilda do que sou aqui, sei que meus amigos não precisam de mim! Mas ela precisa, sinto que se ficar mais segundo aqui, eu posso perdê-la pra sempre! Por isso, por favor! Deixe-me salva-la! Deixe-me manter meu juramento de protegê-la a qualquer custo!

.

Njord abaixa sua cabeça, pode sentir que o que Siegfried sente é muito maior que simples dever ou honra, apesar do guerreiro tentar não admitir, era obvio que ele queria salvar Hilda porque a amava… Se fosse de outra forma, ele não teria conseguido chegar aonde chegou, mas era por causa deste sentimento tão poderoso que o deus precisava que o guerreiro fica-se neste mundo. No fundo queria deixar-lo ir, mas seu dever era defender seu povo e os nove mundos e por isso não podia deixá-lo partir! Precisava dele!

.

Njord: Eu não posso deixar que saia…eu preciso de você!

.

Siegfried: Já disse que…

.

Njord: Não! Só você pode cumprir o que tenho em mente! Sem você todos seus amigos poderão morrer e nós perderemos esta guerra!

.

Siegfried protesta! Seu coração não deixa que aceite isso sem lutar

.

Siegfried: Porque só eu!?

.

Njord: Exatamente por causa desta ligação que você tem com Hilda! Isso pode ser a chave para nós vencermos está guerra!

.

Siegfried fecha seus punhos e seus olhos, lagrimas rolam pelo seu rosto…porque ninguém podia entende-lo! Seu coração podia sentir o sofrimento de Hilda, não podia agüentar mais um segundo desta sensação! Tinha que salva-la!… Não, ele ia salva-la!

.

Siegfried: Mas é exatamente por causa desta ligação, que eu não posso ficar aqui! Eu sei que meus amigos podem fazer qualquer  coisa sem mim…mas só eu posso salva-la! Eu tenho que salva-la! Eu vou sair deste mundo mesmo que tenha que passar por cima de você!

.

Siegfried aumenta seu cosmo, o que faz teia de água que o envolvia evaporar. Seu sangue volta a ferver como o de um dragão, como magia seu ferimento se cura sozinho! Um grande dragão dourado surge atrás dele, tudo em volta começa a tremer. Mesmo assim Njord não recua, nunca se deixaria intimidar pelo cosmo de um humano, mesmo o de um guerreiro foi capaz de ferir um deus!

.

Njord: Pretende me enfrentar? Mal conseguiu sobreviver ao poder de meu filho… Acha que tem alguma chance de me vencer?! Vai jogar sua vida fora por isso?!

.

Siegfried inflama ainda mais seu cosmo, pulso destrutivos de energia começam a se manifestar de seu corpo

.

Siegfried: Você já devia saber as respostas para estas perguntas! Nada nem ninguém, vai me impedir de salva-la!

.

Dizendo isso Siegfried estende sua mão e um raio dourado de puro cosmo sai de seu punho, o deus da tempestade pode sentir o incrível poder destrutivo do raio, que danifica o chão e as paredes com sua onda de choque, mas mesmo assim não recua, sabe que pode resistir a qualquer coisa que um humano possa lançar!

.

Tudo que se pode ver é o raio, o tempo parece ficar mais lento enquanto ele avança para atingir seu alvo. A tensão do impacto iminente pode ser sentida no ar…porém este momento nunca ocorre. Como se viessem do nada, seis escamas de dragão surgem entre o raio e Njord, elas formam um círculo que começa a girar numa velocidade impressionante, fogo surge no centro do círculo poucos segundos antes do raio atingi-lo, a chama é constantemente gerada pelo giro da argola. A energia da roda de fogo cresce constantemente a cada giro, até que iguala e elimina o raio dourado, tudo que sobra do imenso poder é uma grande cortina de fumaça

.

Siegfried fica surpreso com tudo que aconteceu, principalmente porque, sabia que só uma pessoa poderia parar seu raio daquela forma. Um nome surge em sua mente, enquanto a cortina se dissipa e um guerreiro surge atrás dela

.

Siegfried: Fimbul!

.

O guerreiro de Nidhogg surge entre Siegfried e Njord, sua mão direita está estendida e aberta, controlando seu poderoso golpe, o Portal de Fogo, que igualou o poder do guerreiro de Dubhe. O cosmo de Fimbul está muito elevado pronto para lutar

.

Fimbul: Siegfried… o que pensa que está fazendo!?

.

—————————————

.

Devolta a ilha da Luz, Raogrior acabou de contar a história a Thor, o guerreiro está muito arrependido pelo que disse, pelo seu passado era obvio que a Wave Nikr conheceu o sofrimento, perder a mãe desta forma deveria ter sido muito doloroso. Isso causava questionamentos na cabeça de Thor, será que alguém como Raogrior, que conheceu o sofrimento e tinha o espírito puro e luminoso poderia guiar a humanidade para um mundo melhor?…Não! Ele tinha que se lembrar do que o espírito do deus do trovão disse, se a seguisse trairia seus amigos e seus ideais, não podia esquecer-se disso! Mas mesmo assim a culpa por insultar aquela garota rondava sua mente

.

Thor: Raogrior eu entendi, eu sinto…

.

A Wave Nikr o interrompe, a aura vermelha que a envolve, fica maior e mais intensa, sua raiva pode ser sentida por todo o local

.

Raogrior: Você não entendeu nem a metade! Pessoas como você que julgam alguém sem conhecê-la são exatamente do que eu quero me livrar neste mundo! Vocês fizeram minha irmã sofrer, só por causa de sua aparência! Eu fazia de tudo para vê-la melhor! Para ajudá-la! Mas logo percebi que eu era a responsável por grande parte do sofrimento dela

.

Thor: Como assim?

.

Lagrimas rolam pelo rosto de Raogrior enquanto ela se lembra de mais uma parte sofrida do seu passado

.

Raogrior: Meus ferimentos, minhas lesões e cicatrizes, não desapareciam, quando meu espírito luminoso me curava, elas iam para o corpo de Randgrior, minha irmã! Ela sofria toda a dor que eu deveria sofrer! Eu só queria poder compartilhar um pouco desta dor com ela!…Faria de tudo para que pudéssemos compartilhar isso!

.

O vento faz os cabelos de Raogrior balançarem para o lado, ilogicamente os fios brilham e formam uma imagem, como uma tela de luz. Nesta pode-se ver a imagem de Randgrior, parece ter 10 anos de idade, seu rosto e seu corpo estão cobertos por uma túnica, para esconder sua aparência, enquanto ela passeia por uma pequena vila de Asgard

.

Em meio a lagrimas Raogrior narra à imagem projetada em seus cabelos

.

Raogrior: Um dia minha irmã foi passear pela vila próximo a nossa casa, tinha desobedecido meu pai e saído sozinha. Não sei como exatamente aconteceu, mas os panos que cobriam seu rosto caíram, e sua face foi revelada. Ela foi acusada de ser um monstro! Um demônio do Helheim que deveria ser morto para que não prejudicasse ninguém. Randgrior fugiu enquanto os verdadeiros monstros a perseguiam, ela poderia usar seu cosmo negro para matá-los, mas minha irmã era incapaz de machucar alguém sem um bom motivo! Seu cosmo que só causava destruição não poderia protegê-la sem matar alguém!  Quando eles a encurralaram eu apareci, eu sempre pude sentir o sofrimento de minha irmã, como se fosse o meu. Eu tentei usar minha luz para afastar os monstros dela, mas…

.

A imagem projetada mostra a figura luminosa de Raogrior protegendo sua irmã, mas em vez de se assustar com seu poder, os agressores a reverenciam, como se fosse um anjo! Um ser enviado pelos deuses para salva-los do monstro do Helheim que veio ameaçá-los

.

Raogrior: Eles começaram a me idolatrar pela minha beleza e luz, ao ver aquilo Randgrior entrou em colapso, seu poder negro começou a crescer descontroladamente e um monstro negro surgiu a partir se seu cosmo, a fera matou todos os agressores e eu não pude nem quis impedir.

.

Pode-se ver a imagem dos agressores morrendo de puro terror ao serem engolidos o monstro da escuridão que se manifestou a partir de Randgrior

.

Raogrior: Depois deste dia minha irmã não queria sair de seu quarto, não importava o que eu fizesse! Ela dizia que eu nunca a entenderia por causa de minha beleza tão admirada. Comecei a odiar este corpo que fazia eu me afastar da minha irmã! Mais do que nunca eu queria ser igual a ela, para que pudéssemos ficar juntas! Então eu tive uma idéia para tentar me tornar igual a ela, eu derreti todo o metal que tínhamos e enfiei meu rosto enquanto este estava fervendo, na esperança que meu rosto ficasse parecido com o dela!

.

Thor chega sentir dor só de ver tal cena sendo projetada…Como uma pessoa se submeteria a tal tormento, mas do nunca se arrepende pelo que fez a Raogrior. A guerreira não consegue conter as lagrimas enquanto continua

.

Raogrior:Snif… Mas… foi em vão! Meu rosto voltou ao normal assim que a máscara de metal foi tirada dele. Eu caí em prantos aos saber que tudo foi inutil…Pior! Eu só tinha conseguido causar mais sofrimento a minha irmã, já que foi ela que sentiu a maioria das dores das queimaduras. Quase entrei em colapso ao ouvir os gritos dela. Mas foi aí que vi que a mascara de metal tinha ficado igual ao meu rosto…snif Eu dei aquela mascara para minha irmã!  Ela merecia ter aquele rosto e não eu! Ela era uma pessoa muito melhor do que eu! E merecia que a pessoas vissem isso!

.

Lagrimas não param de cair enquanto a raiva de Raogrior aumenta cada vez mais. Thor começa a sentir algo diferente, algo que nunca sentiu perto daquela guerreira…Começa a sentir medo!

.

Raogrior: Quando nos tornamos Wave Nikr eu pensei que as coisas mudariam, pensei que minha irmã poderia criar um novo corpo elemental, que não tivesse todos aqueles defeitos, mas a maldição estava em sua alma e não em seu corpo! E além dela não mudar algo horrível começou a aconteceu…toda vez que ela tirava a máscara que eu a dei, seu espírito negro começava a contaminar os seres em volta, fazendo com seus espíritos se tornassem também negros e os levando a morte! Isso parecia acontecer porque seu sofrimento era tão grande, ao ver sua própria face exposta, que sua escuridão  começava  a crescer e a infectar a todos. Foi então que percebi… Minha irmã nunca poderia ser aceita neste mundo, mas eu vou criar um novo mundo, onde ela possa viver! Onde ela não seja rejeitada por todos, onde ela não sofra tanto com seu rosto, para que assim ela possa viver em paz e sem prejudicar ninguém!

.

A guerreira estende sua mão direita e um manto dourado se manifesta a partir desta. A luz do manto é muito intensa, deixando Thor praticamente cego!

.

Raogrior: Pessoas como você Thor, não merecem viver mundo que eu vou criar! Eu vou te destruir por questionado meu sofrimento e por ter feito me lembrar de tudo isso!

.

Raogrior lança seu véu em direção a Thor, a luz dele é tão grande que começa a queimar seu corpo por dentro, como destruísse seu espírito

.

(Thor): Tenho que fazer algo, senão vou morrer! Mas como vou derrotá-la,  se seu corpo se recupera de qualquer ferimento? Se pelo menos…

.

A resposta surge na mente de Thor, quando sente a cobra dourada que envolve um de seus machados

.

Thor: É isso! Thor deus do trovão eu te peço que me guie mais uma vez! JORMUNGAND LIGHTING (RELAMPAGO DE JORMUNGAND)

.

Thor lança seus machados em direção a Raogrior, estes começam a emitir raios elétricos cada vez maiores, que logo se juntam fazendo surgir uma verdadeira cobra elétrica, que evolve as duas armas! O grande monstro de energia atravessa e destrói o manto luminoso, depois abre a boca para engolir a Wave Nikr, enquanto esta só observa com desdém

.

Raogrior: Acha que isso pode me vencer?! Mas o que…?

.

Para surpresa de Raogrior a grande serpente se desmaterializa em um instante e os dois machados se separam e começam a girar em volta dela. Ainda carregados  começam a tomar um trajetória diferente, girando em forma de um 8 horizontal

.

Raogrior: O que está força? Não posso me mexer!

.

A energia elétrica que dança entre os machados e prende a guerreira no centro do 8 horizontal. Logo ela percebe que na verdade as duas armas não estão formado um 8, a trajetória mais parece como a de uma serpente que morde seu próprio rabo, os machados Mjornir estão formando o símbolo do infinito!

.

Raogrior: Não pode ser…!

.

Thor está ofegante e com seus braços abertos, todo seu cosmo está concentrado em controlar o poder cada vez maior de suas armas

.

Thor: Mas é! Nesta forma os meus dois machados estão carregando um ao outro, fazendo que seu poder aumente constantemente até o infinito! Seu poder de regeneração não vai adiantar! Meus machados vão continuar girando e destruindo seu corpo até que não sobre nada dele!

.

A energia dos machados começa a ferir o Raogrior, o dano é constante e ela não consegue se recuperar, seu corpo começa a sucumbir pela energia. Mas mesmo com a possibilidade da vitória Thor não consegue sentir satisfação

.

Thor: Eu sinto muito Raogrior! Desculpe por ter te magoado, eu entendo que você sofreu muito… Mas isso não te dá o direito de destruir este mundo!…Este mundo está sim cheio de sofrimento e pessoas ruins, mas também está cheio de vidas inocentes, e se você o destruir causará sofrimento a estas, e será tão má quando as pessoas que odeia!  O que fizeram com sua irmã foi horrível e me mostrou que você também pode sofrer, por isso eu mudei minha visão sobre você e tenho certeza que,  como eu, existem pessoas que podem mudar e tornar este mundo um lugar melhor! Não precisamos destruir este mundo para criar outro se acreditarmos nas pessoas poderemos mudar este juntos, e torná-lo um mundo sem sofrimento! É acreditando nisso que eu não posso cair aqui!

 

.

A energia elétrica fica cada vez mais forte, o corpo de Raogrior se fere cada vez mais. Então começa a sentir algo que nunca tinha sentido por tanto tempo e com tanta intensidade, sente dor! Muita dor! O suficiente para obrigá-la a gritar!

.

Raogrior: AAAAAAAAAAAHHHHHHH!

.

A energia é tão grande que só possível ver a silueta luminosa do corpo da Wave Nikr. Em meio aos seus gritos a silueta vai sumindo até que sobre somente um ponto luminoso no meio do símbolo de infinito, por um momento a vitoria parece certa para Thor

.

(Thor):Consegui!

.

Porém neste segundo algo surpreendente acontece, é possível ouvir o grito de Raogrior a partir do ponto luz, que ainda restava no centro do símbolo. Junto com ele, uma explosão de energia luminosa ocorre e é tão poderosa que joga os dois machados de Thor para longe! Depois que a luz diminui é possível ver Raogrior no centro, porém seu corpo está diferente! Sua forma não é mais solida, é feita de pura energia luminosa, porém ela ainda veste a imponente Disgae, a guerreira ser tornou um elemental da luz! Seu corpo é dourado, seus olhos brilhantes e assustadores e seus cabelos flutuam no ar com se estivessem carregados de energia, ela levita afundando a terra abaixo de seus pés. Seu cosmo aumentou assustadoramente, era obvio que já não era uma luta justa! Nesta forma Raogrior não podia ser ferida por Thor, o guerreiro estava em séria desvantagem. A Wave Nikr fala como se fosse um monstro luminoso, sua voz é mais imponente e assustadora, produzindo ecos a cada palavra

.

Raogrior: Eu já disse que não conseguirá me vencer Thor! Isso já está muito além do teste! Eu vou destruir sua vida patética, custe o que custar!

.

O monstro que Raogrior se tornou consegue ser mais assustador que o monstro escuro de sua irmã, Thor não sabe o que fazer para enfrentar tal ser, então começa a recuar involuntariamente

.

Raogrior: Morra!

.

Raogrior lança um grande raio luminoso a partir de sua mão direita, é impossível para Thor escapar. Então ele não tem escolha senão tentar se defender, concentrado todo cosmo que tinha em suas mãos, e assim recebe o raio em cheio e tenta resistir a este, mas o golpe é muito poderoso e o joga para traz causando um grande clarão luminoso que encobre tudo

.

—————————————-

.

Enquanto isso, na ilha da escuridão, Mime luta para escapar a energia negra a sua volta, esta se comporta como um mar revolto e escuro  que tenta puxá-lo para o fundo. Ele está com a maioria do corpo submerso no oceano negro e a cada segundo monstros negros emergem deste e como cobras marinhas tentam se enrolar em seu corpo e consumi-lo. O guerreiro usa sua energia luminosa para repelir as criaturas, porém sua força está diminuindo. A escuridão do seu espírito continua a aumentar por causa do oceano negro, e a luz do seu cosmo não está mais conseguindo estabilizar este crescente lado negro. Mas pelo menos, Mime já tem uma idéia do que fazer

.

(Mime): Agora que sei como Randgrior pode ter um espírito completamente negro, acho que posso impedir-la, só tenho que encontrá-la!

.

Neste momento uma grande cobra negra emerge do mar de energia e engole Mime por completo. Dentro do monstro o guerreiro sente sua luz diminuindo cada vez mais e não consegue ver mais nada, parece que tudo está perdido, quando Randgrior surge na sua frente flutuando também no centro do monstro que o engoliu

.

(Mime): É agora ou nunca!

.

Randgrior fala com o espírito de Mime

.

(Randgrior): Desista logo e aceite a morte Mime! Ninguém pode viver aqui além de mim

.

(Mime): Não posso desistir, enquanto não te mostrar que está errada! SUNLIGHT HEART (CORAÇÃO DE LUZ SOLAR)

.

Mime estende a mão direita e novamente seu pequeno sol de luz emerge de sua palma, este começa a lançar inúmeros fios de energia que começam a proliferar pelo oceano negro de Randgrior

.

(Randgrior): Isso não vai adiantar! Minha escuridão está muito vasta, para sua pequena luz vencê-la!

.

Mime ignora a guerreira e continua a fazer com que seus fios se proliferem, até que juntos  estes produzam um grande clarão, que cega Randgrior por um segundo! Quando a luz se dissipa a Wave Nikr negra surge intacta no meio de seu mar escuro

.

(Randgrior): Viu eu te disse que…mas..hã

.

Randgrior começa a sentir uma sensação estranha e impossível de ser descrita, vinda do fundo de sua alma. Logo sente seu braço formigar e ao olhar para ele percebe pequenos fios de luz estão perfurando sua pele apodrecida, ao acompanhar estes percebe que estão saindo a partir da mão ainda estendida de Mime. O guerreiro está exausto, seus cabelos cobre sua face sem expressão

.

(Randgrior): Mas o que é isso?!

.

Mime não responde, porém aos poucos ele começa a levantar sua cabeça e revelar seu olhar sereno, o olhar que adquiria quando tocava sua música. Aos poucos ilogicamente a música do norte começa a ser ouvida por Randgrior, as cordas de luz de Mime começam a pulsar, pequenos pontos de luz surgem e começam a dançar pelos fios. No ritmo da melodia estes pontos viajam pelas cordas que estão perfurando o corpo da guerreira e penetram na sua pele. Aos poucos algo estranho começa a acontecer, luzes surgem nos braços e nas pernas de Randgrior. A medida que os pontos de luz vão entrando em seu corpo, estás luzes começam a subir pelos seus membros conforme a melodia, por onde as luzes passam, sua pele  começa a mudar! Começa a adquirir vida! Aos poucos a Wave Nikr vai sendo preenchida pela luz e seu corpo vai renascendo, uma pele branca substitui a apodrecida, seus órgãos secos vão ficando mais vistosos e com vida, sua garganta se torna úmida e sua voz pára de ser roca, se tornado bela. Seu rosto se torna também belo ficando igual ao de sua irmã gêmea, a mecha dourada de seu cabelo começa a se expandir até tomar metade deste, a guerreira se torna um ser vivo e normal, a luz de Mime parece ter penetrado em espírito dando a este um lado luminoso!

.

Randgrior: Você…me tornou normal..!

.

Randgrior sente seu rosto normal pela primeira vez, sua face é de pura felicidade, lagrimas rolam pela sua nova pele. A guerreira perde controle do mar negro de energia e este vai de desaparecendo aos poucos. Mime pode sentir seu espírito se estabilizando enquanto a escuridão pára de envolvê-lo

.

Mime: Tudo o que fiz Randgrior, foi revelar o que você realmente é! Você não é um monstro! Eu pude sentir seu espírito enquanto te forçava a reviver seu passado, pude ver que apesar negro ele é sereno e bondoso. Eu percebi porque o sacrifício de sua mãe foi em vão, para uma luz poder penetrar no seu espírito, teria que ser muito forte e também teria que ser injetada diretamente nele. E foi isso que eu fiz…

.

Mime muda de expressão, volta a demonstrar arrependimento como se estivesse para fazer algo terrível

.

Mime: Porém…sinto muito mas não posso deixar você assim! Minha luz só está em seu espírito porque eu estou mantendo-a lá! Assim que ela sair você vai voltar ao normal…e eu não conseguirei sair daqui…Sinto muito mas tenho que derrotá-la agora, tenho que…

.

Randgrior abaixa sua cabeça e sorri, este foi o primeiro sorriso que ela conseguiu dar na vida, seu coração se enche de uma sensação de conforto e felicidade!

.

Randgrior: Tudo bem Mime, eu entendo… Eu lhe agradeço muito por fazer isso, por mim. Entendo que não pode me deixar assim…mas sentir meu corpo vivo é tão bom…!Acho que consigo guardar está sensação…!Pode fazer o que tem que fazer…

.

Era obvio que Randgrior não tinha falado algo, sabia que Mime tinha feito muito mais do que injetar sua luz em seu espírito para deixá-la assim, ele provavelmente teve que fazer um grande sacrifício, algo que poderia lhe custar a vida! Alguém que estava disposto a isso tinha o direito de continuar.

.

Lagrimas rolam pelo rosto de Mime enquanto ele aumenta seu cosmo

.

Mime: Sinto muito Randgrior…. SUNLIGHT EXPLOSION(EXPLOSÃO DE LUZ SOLAR)!

.

As cordas presas a Randgrior começam a brilhar cada vez mais, logo feixes de luz surgem de dentro de seu corpo. Aquilo lhe causa muita dor, mas ela não perde o sorriso, nunca sentiu tanta alegria na vida e nenhuma dor poderia fazê-la sofrer naquele momento! Mais feixes de luz saem de seu corpo até que este entra em colapso e uma grande explosão luminosa preenche todo o local

.

—————————————-

.

Devolta a ilha de luz, Raogrior ainda está flutuando e atirando o raio de luz contra Thor que, apresar de ter sido jogado contra uma rocha pela força dele, ainda resiste ao raio bravamente, mas suas forças estão diminuindo. Como um monstro sádico Raogrior sente satisfação pelo sofrimento que está causando ao guerreiro

.

Raogrior: Logo você será destruído….ah! O que é isso!

.

Raogrior começa a sentir algo estranho, por segundo sente uma grande falta de ar e, do nada, ela volta à forma solida, seu raio entra em colapso e desaparece! A guerreira pára de flutuar e cai no chão de joelhos, suas forças começam a diminuir, ferimentos de queimaduras elétricas surgem em sua pele, a luz natural de seu corpo some e a mecha roxa de seu cabelo cresce até tomá-lo pela metade. Como sua irmã, Raogrior se torna alguém normal. No mesmo segundo que espírito de Randgrior se tornou equilibrado o espírito da Wave Nikr da luz também se tornou estável, adquirindo um lado negro!

.

Raogrior: O que aconteceu comigo?…O que aconteceu com a Randgrior?

.

Thor se vê livre do raio e mesmo não entendendo, o que aconteceu com sua adversária, percebe que está é uma chance que, apesar de injusta, não pode desperdiçar

.

(Thor): Eu não tenho mais forças…Por isso Thor, deus do trovão, eu te peço que me ajude mais uma vez! Machados voltem a mim!

.

Os Machados Mjolnir surgem no nada e voltam para Thor. Como se alguém o guia-se o guerreiro fecha os olhos e junta seus dois machados pelos cabos, então segura sua nova arma dupla, só com a mão direita e começa a girá-la com sua força elétrica

.

Thor: Eu sei que estou sendo hipócrita Raogrior, sei que estou sendo desonroso, eu sinto muito, mas não posso perder aqui! Sinto muito, não posso desperdiçar isso! Thor me conceda sua força! MIGHTY THUNDER (PODEROSO TROVÃO)

.

Um grande raio desce do céu a atinge os machados de Thor, isso os energiza ainda mais fazendo que se tornem um circulo elétrico. Então em meio a lagrimas de arrependimento o guerreiro lança o grande circulo de energia em Raogrior

.

A guerreira está sem forças para desviar, porém estranhamente, não consegue sentir raiva de Thor. Depois do que tinha feito a ele, o guerreiro tinha todo o direito de agir daquela forma e, além disso, seu coração está cheio de alegria, pois sente que sua irmã está, pela primeira vez, realmente feliz!

.

O circulo relâmpago acerta a guerreira e mais uma vez tudo é coberto pela luz, mas desta vez é a luz do poderoso relâmpago de Thor.

.

Fim do capitulo 34

.

.

.

Explicações:

.

Balder: Era o deus da beleza, filho de Frigga e Odin e irmão de Thor, adorado por todos, menos Loki, que o invejava profundamente. Certa vez sua morte foi prevista, por isso sua mãe  correu por todos os mundos fazendo todos as criaturas animadas ou não, jurarem que feririam Balder, porém ela esqueceu de pedir o juramento de um visco(um tipo de árvore). Para testar a invulnerabilidade de Balder os deuses fizeram um círculo e começaram a atacar o deus com varias armas, mas ele permanecia ileso, para a alegria de todos. Mas o invejoso Loki enganou Frigga, fazendo com que ela conta-se que o visco poderia ferir Balder. Loki fez uma flecha a partir da planta, deu esta a Hödur ( o irmão cego de Balder) e o persuadiu a testar a invulnerabilidade do deus da beleza com a flecha. Guiado por Loki Hödur matou Balder com a flecha. Os deuses pediram a Hel que liberta-se a alma do deus, para que ele pudesse reviver, a deusa aceitou, porém requisitou que, em troca, todos os seres vivos derramassem uma lagrima por Balder. Loki atrapalhou novamente, disfarçando-se de velha e recusando-se a chorar por Balder. Com isso o deus permaneceu morto, porém Loki foi descoberto e condenado a ficar preso até o Ragnarok. Alguns dizem que Balder voltará depois do fim do mundo, para reinar no novo mundo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s