Capitulo 36

 

Prólogo – Como é Amar Alguém

.

Mais cedo no Dia da luta entre os Guerreiros de Thor e os Cavaleiros de Atena

.

Um ano…Estávamos a um ano sobre este martírio! Todos nos viam como traidores e tecnicamente nós éramos. Afinal traímos todos nossos ideais traímos nossa honra, nossos companheiros e a fé que tinham em nós. Porém a única coisa que não traímos era talvez a mais importante, nosso dever! Nimbul dizia que se ainda tivéssemos isso, tudo valeria a pena no final! Mas o final já tinha chegado uma vez para nós! E me pergunto se valeu mesmo apena. Estávamos no castelo de Loki, nossos aposentos pareciam mais uma prisão, possuía até barras e camas duras para nos sentarmos. Não nos davam conforto, recompensas ou mesmo alimento, mas de alguma forma conseguíamos sobreviver. Não sentíamos fome e raramente ficávamos cansados, o cosmo parecia ser nosso único amigo, o resto estava vazio, mal conseguíamos sentir!…No passado eu me lembro de amar meu irmão Donnar e meu querido Nimbul…mas agora eu quase não sei o que é isso!

Lutávamos por um deus que não era o nosso, mas não podíamos pensar em traí-lo, pelo menos, não por enquanto. Guerreamos contra nossos aliados, tínhamos inclusive amigos entre eles…!Sorha, será que um dia você vai me perdoar? Acho que não, eu não mereço!

Eu só quero acabar logo com isso, só quero cumprir minha missão e acabar com esta existência miserável… Mas agora que até as estrelas não estão confiando em mim, não sei se vou conseguir!

.

Síbia a guerreira da estrela Eta só conseguia pensar nisso ultimamente, mas sentia que talvez aquele dia fosse diferente…Todos os guerreiros de Thor estavam juntos numa cela escura do castelo de Loki. Cada um fazia algo para tentar disfarçar o martírio: Utgard o guerreiro de Berserk treinava suas habilidades de combate… Ele sempre foi o mais ativo; Fimafeng de Gullinbursti lustrava seu escudo dourado… Dizia que pelo menos sua proteção sagrada deveria permanecer pura; Inua de Kraken tentava em vão falar com os espíritos, as árvores tinham a abandonado e as pessoas mortas não ofereciam nada de útil…porém ela nunca desistia e sempre tentava manter-se positiva; Raed de Ratatosk tentava entreter os outros, contava piadas sarcásticas e zombava dos deuses, estava sempre sorrindo…porém, por dentro era quem estava mais sem esperança; Donnar de Tanngnjóstr  ou tentava  consolar a irmã ou ficava treinando quebrar pedras pelo som, bom, não exatamente um treino, mas isso sempre o ajudou a pensar; Nimbul estava fora,  tinha ido conversar com  Loki, era o único que fazia isso…dizia que os outros não mereciam esta tortura…como se fosse bom ficar numa cela escura e fria. Por fim, Síbia de Tanngrisnir ficava desenhando constelações com seu poder de criar pequenos corpos celestes a partir de cosmo, claro que estes tinham infinitamente menos energia que os reais, mas ainda assim eram bonitos…!Porém ela não conseguia mais ver a beleza deles por isso ficava muito triste.

Neste momento Nimbul entra na cela, sua voz tenta demonstrar esperança

.

Nimbul: Muito bem amigos… Acho que descobri uma forma de sairmos daqui

.

Raed salta da cama onde estava sentado, com um sorriso falso no rosto

.

Raed: Legal chefe! Então você finalmente percebeu que isso é inútil e vai deixar a gente se matar!

.

Todos ficam sem reação com as palavras de Raed… Se aquilo era uma brincadeira, não tinha nenhuma graça. Utgard finalmente quebra o silêncio mortal dando um soco no rosto do guerreiro de Ratatosk

.

Utgard: Isso não hora para brincadeiras! Idiota!

.

O guerreiro atingido passa a mão pelo seu rosto, seu sorriso tinha desaparecido

.

Raed: Au.. eu só tava tentando quebrar este clima mórbido.

.

Utgard cruza os braços e da um suspiro de desprezo

.

Utgard: Pois não conseguiu…!Por favor, Nimbul continue

.

Nimbul não teve nenhuma reação com a atitude de seu discípulo, só queria ir direto ao ponto

.

Nimbul: Bom…obrigado! Como eu estava dizendo, eu pedi ao senhor Loki que…

.

“Senhor Loki”, Nimbul tinha vontade de vomitar ao dizer aquilo, mas tinham que manter as aparências

.

Nimbul: …nos deixa-se enfrentar os cavaleiros de Atena que neste momento se dirigem para Asgard

.

Um pensamento assombra a mente de Síbia

.

(Síbia): Os Cavaleiros de Atena! Sua fama é lendária! Será que nós estamos a altura deles?

.

Nimbul continua

.

Nimbul: Acredito que eles serão bons adversários para completarmos nossa missão… E como estaremos em outro mundo será mais difícil para ele perceber o que estamos tentando fazer. Além disso os guerreiros antigos também estão lá,por isso com certeza encontraremos os combates que procuramos!

.

Síbia se perguntava se isso importava… Quer dizer, era obvio que ele já sabia o que eles estavam fazendo, ele sempre sabia de tudo… O fato, de eles ainda estarem vivos se devia a vontade dele… Ele queria que fosse assim… Não é?

.

Utgard soca sua mão aberta com a outra mão, estava pronto para a luta

.

Utgard: Muito bem! Nimbul, se me permite, gostaria de enfrentar o cavaleiro de Pegaso. Se esta vai ser minha ultima luta, quero me divertir!

.

Nimbul dá um sorriso falso, tinha que manter a moral de seus guerreiros em alta

.

Nimbul: Tudo bem Utgard! Se eles conseguirem tirá-lo do coma, você pode enfrentá-lo… Quero que todos peguem o adversário que preferirem… Mas por favor, lutem sozinhos não conseguiremos nosso objetivo de outra forma. Só gostaria de exigir algumas coisas.

.

O guerreiro de Hraselveg vai até Inua de Kraken, seu olhar de pesar, como se tivesse que pedir algo muito difícil a ela

.

Nimbul: Inua…eu preciso que enfrente seu mestre, Alberich XIII. Eu sei que será algo muito difícil para você, mas…

.

A guerreira de Kraken faz um sinal com a mão para Nimbul parar… Uma lagrima rola pelo seu rosto, ela sabia o que deveria ser feito, por mais que doesse

.

Inua: Eu sei…!Eu sou a única de nós que pode ter alguma chance contra ele… Tudo bem, eu vou dar meu máximo!

.

Síbia pode sentir a dor de Inua… Sabia dos sentimentos dela por Alberich. Mesmo agora, ela se sentiria muito mal, se fosse forçada a lutar contra seu mestre e amado… Nimbul

.

Nimbul agora se dirigia a ela e a Raed

.

Nimbul: Síbia e Raed, como vocês são os dois guerreiros mais novos, gostaria que ficassem comigo. Eu vou selecionar os melhores adversários para os dois.

.

Nimbul lança um olhar profundo para Síbia, era como se implorasse que lhe obedecesse desta vez

.

Nimbul: Muito bem! Vamos então! Pelos nove mundos, vamos completar nossa missão!

.

“Pelos nove mundos” Este era um bom meio termo. Nimbul não podia dizer “por Thor” e não suportava dizer “por Loki”, esta frase o deixava manter o mínimo de dignidade sem comprometer sua missão

.

Todos os guerreiros repetem a declaração de Nimbul, tentam parecer entusiasmados para agradar seu líder e para disfarçar sua tristeza.

Um a um todos, menos Donnar e Síbia, passam por Nimbul e saem da cela. Alguns sorriem para ele, outros apenas dão um sinal de aprovação

.

Donnar se aproxima de Síbia e fala em seu ouvido

.

Donnar: Tome cuidado, irmã! Eu não vou poder te proteger desta vez!

.

Donnar se levanta e ao passar Nimbul manda uma mensagem para este pelo seu cosmo.

.

(Donnar): Cuide bem dela! Se fizer ela sofrer, eu juro que vou…

.

Nimbul interrompe, já tinha entendido tudo

.

(Nimbul): Eu sei…não se preocupe, não vou decepcionar vocês denovo!

.

Donnar abaixa e fecha os olhos, não fala ou pensa mais nada, simplesmente continua andando. Enquanto os outros guerreiros vão se afastando, Raed se aproxima de Fimafeng.

.

Raed: Então porquinho, com quem vai lutar?

.

Fimafeng já tinha se acostumado com o apelido que Raed tinha lhe dado, não considerava mais uma zombaria, mesmo assim, aquilo lhe fazia se sentir estranho

.

Fimafeng: Estava pensando em lutar com o cavaleiro de dragão, gostaria de ver o lendário escudo dele! E você esquilo?

.

Esse era o jeito que Fimafeng encontrou, para revidar o apelido, sem quebrar a cara de Raed.

.

Raed: Bom, o chefe que vai decidir né? Só espero não lutar com aquele de armadura rosa…ele é meio estranho, se entende o que digo

.

Fimafeng: Não zombe dele, ouvi dizer que é muito forte!

.

Raed dá outro sorriso falso

.

Raed: Isso não o impede de ser estranho não é?

.

Os dois continuam a conversar, mas já estão muito longe para serem ouvidos por Síbia e Nimbul. O guerreiro continua olhando para a garota, como se fosse a ultima vez que iria vê-la

.

Síbia: Bom…Vamos?

.

Síbia passa por Nimbul ficando de costas para este, porém neste momento ele chama a atenção dela

.

Nimbul: Síbia, por favor!

.

Nimbul se vira para Síbia, enquanto ela faz o mesmo, há muito tempo ele não mostrava um sentimento tão verdadeiro, em seus olhos.

.

Nimbul: Não comece sua missão, antes de eu completar a minha!

.

Nimbul pega a garota pelos braços e olha o fundo nos olhos dela, uma lagrima escorre pelo seu rosto

.

Nimbul: Eu não suportaria, perder você denovo!

.

O coração de Síbia bate forte…então era assim que era sentir aquilo, ela quase tinha esquecido….!

.

Síbia: Tudo bem!

.

Nimbul beija sua amada, pela primeira vez em muito tempo. Síbia sente seu coração batendo fortemente, sente um sentimento quente inundando seu corpo, sente um prazer que faz com que quase despenque nos braços de Nimbul. Ela quase tinha esquecido….quase tinha esquecido como era amar alguém!

.

Fim do Prólogo

.

Tanngrisnir e Tanngnjóstr: Estes eram os nomes dos dois bodes negros que puxavam a carruagem de Thor, fagulhas de fogo saiam de seus cascos. Thor era conhecido por sua voracidade, por isso muitas vezes ele devorava seus bodes e depois lhes devolvia a vida com o poder de seu martelo Mjolnir

.

Capitulo 36: Agora que posso ouvir as estrelas novamente

.

Síbia ainda tinha aquele beijo gravado em sua memória, se sentia mal por quebrar a promessa, mas…

.

Síbia: Mestre Nimbul, seu destino não é morrer na luta contra Siegfried! Ainda tem muito que fazer! Deixe que eu, Síbia de Tanngrisnir a Luz do relâmpago, me encarregue dele!

.

Síbia fecha seus olhos

.

(Síbia): Nimbul meu amor…desculpe, por quebrar a promessa que lhe fiz, mas…

.

Nimbul se desespera ao perceber a intenção de sua amada

.

(Nimbul): Síbia! Não!

.

Síbia abre os olhos, sua expressão é decidida e determinada

.

(Síbia): …Mas eu também não suportaria perder você!

.

Com este pensamento Síbia se agarra ao corpo de Siegfried de Fafnir seu ultimo adversário

.

Síbia: SKY RIDER (VIAJANTE DO CÉU)!

.

Siegfried e Síbia se tornam uma estrela cadente e voam para pelo céu noturno, para longe dali, para onde ela pudesse encontrar seu destino

.

Nimbul cai de joelhos…está muito cansado e triste

.

Nimbul: Síbia….porque…POR QUE!

.

O Guerreiro recebe um chute no rosto, está tão fraco e ferido que cai no chão. Dagno de Skoll, aquele que deu o chute, exibe um sorriso maléfico no rosto

.

Dagno: ÔÔÔ…que peninha! Então você está triste por perder sua namoradinha!

.

O guerreiro de Skoll levanta sua mão direita, exibindo sua poderosa garra do sol, com a clara intenção de matar seu adversário

.

Dagno: Não se preocupe! Eu vou te mandar para o inferno onde poderá ficar com ela pela eternidade!

.

Dagno abaixa sua garra, com uma velocidade extrema, com a clara intenção de cravá-la na cabeça de Nimbul. Porém quando se aproxima deste algo impede sua mão de prosseguir. Um campo elétrico surge em volta do guerreiro de Thor e eletrocuta o braço do guerreiro de Loki, forçando este a se afastar

Nimbul se levanta sua aura mudou, não é mais de tristeza como na luta com Siegfried ou de determinação como há segundos atrás, é de pura raiva!

.

Nimbul: Saia da minha frente! Eu tenho salvar a Síbia!

.

Dagno sorri.

.

Dagno: Eu até poderia fazer isso, afinal assim eu poderia matar Atena e acabar logo com isso…mas eu prometi que ia te punir primeiro! Seu Traidor!

.

Os dois guerreiros se posicionam para lutar

.

—————————————————-

.

Enquanto isso, a estrela cadente onde Síbia e Siegfried estão cai na floresta que envolve o palácio Valhalla, o impacto da estrela faz surgir uma grande cratera no meio da floresta, o que levanta muita poeira. Porém quando está dissipa é possível perceber que ambos os guerreiros estão intactos. Síbia logo assume uma posição de combate, porém Siegfried parado

.

Siegfried: Por que está fazendo isso?

.

Síbia se mostra surpresa, com a atitude de Siegfried

.

Síbia: O que? Como assim?

.

Siegfried dá um suspiro

.

Siegfried: Por que quer lutar comigo? Nem seu mestre conseguiu me vencer, acha mesmo que tem alguma chance contra mim?

.

Síbia abaixa levemente sua cabeça, porém não sai da posição de combate

.

Síbia: Não, eu acho que tenho alguma chance contra você. Mas…

.

Síbia levanta a cabeça, agora adquiriu um olhar de decisão

.

Síbia: O Nimbul precisa cumprir a missão dele! E eu vou fazer de tudo para que isso aconteça!

.

Siegfried cruza seus braços

.

Siegfried: Que missão é esta, de que vocês tanto falam? É obvio que seu objetivo não matar Atena ou Skadi…Então o que vocês buscam?

.

Síbia: Eu não posso dizer! Se dissesse estará tudo perdido. Mas do que isso importa?! Só deve saber que sou inimiga e devemos lutar!

.

Siegfreid dá outro suspiro, era difícil falar com alguém bem menos maduro que ele. Realmente agora se lembrava, Síbia era a mais jovem entre os guerreiros de Thor, possuía apenas 17 anos

.

Siegfried: Eu não vou lutar contra alguém por causa de princípios tão simples! Principalmente com alguém como você! Uma jovem que parece lutar pela justiça! Tenho que saber por que está lutando, para saber de devo ajudá-la ou não!

.

Síbia: Se quer me ajudar, lute comigo! É a única forma!

.

Siegfried: Se eu lutar com você….

.

Siegfried abaixa a cabeça, sente-se triste

.

Siegfried:…Morrerá com apenas um golpe!

.

Síbia salta para atacar Siegfried, sua determinação é impressionante, e sua velocidade é considerável, mas o guerreiro lendário não parece se preocupar, na verdade ele fecha os olhos

.

Síbia: Não me subestime!

.

Síbia ataca Siegfried com um poderoso soco com a mão direita. Porém o guerreiro lendário não se meche, o punho da guerreira atinge seu rosto. Pode-se ouvir um grande estrondo por causa do impacto. Mas só…Siegfried não sofreu um arranhão com o golpe. Síbia está perplexa, o guerreiro nem se preocupou em se defender! Sua força é tão patética? Neste momento seu adversário abre os olhos

.

Siegfried: Eu te avisei!

.

Quando Síbia ouve estas palavras, começa a sentir uma grande dor em sua mão, logo rachaduras surgem no punho de sua armadura e sangue começa a escorrer pelos seus dedos.

.

Síbia: Ah!

.

Síbia grita pela grande dor, ao recolher sua mão em um reflexo de defesa, percebe que está possui varias fraturas! Além de muitos hematomas e cortes devido ao impacto com o rosto de Siegfried, parecia que ela tinha socado um bloco de metal!

.

Siegfried aumenta seu cosmo levemente, porém isso causa uma grande onda de energia que joga Síbia para longe. A guerreira para ao bater na borda cratera formada pelo seu golpe anterior

Siegfried começa a se aproximar de Síbia, enquanto esta se levanta com certa dificuldade.

.

Siegfried: Agora percebe que é inútil! Eu não quero matar você… Tem um grande potencial para ser desperdiçado com isso!

.

Síbia sorri.

.

Síbia: Hah…Acha que tenho um grande potencial! Isso já se perdeu há muito tempo! Agora só vivo para cumprir minha missão!

.

Siegfried cruza os braços novamente, mostrando que está cansado de ver um esforço tão inútil

.

Siegfried: Não vai conseguir uma grande luta comigo

.

Síbia fica confusa

.

Síbia: O que?

.

Siegfried: Raed e Nimbul pareciam ter apenas um objetivo! Dar tudo de si numa luta, sem se importar em vencer ou perder…na verdade Raed morreu satisfeito, como se tivesse cumprido seu objetivo. Mostrando que a missão de vocês não é vencer a batalha, é apenas ter uma grande luta!  Uma luta que possam dar tudo de si, não vai conseguir fazer isso comigo! Nosso nível é muito diferente!

.

Síbia fica estática, está impressionada com a capacidade de dedução de Siegfried. Só um pensamento passa por sua cabeça

.

Síbia: Se você já tinha entendido! Então porque quis matar Nimbul!?

.

Siegfried muda um pouco sua expressão, se sente triste pela intenção de seu discípulo

.

Siegfried: Porque era o que ele queria, não era?

.

Síbia: A…A…

.

Síbia está sem palavras.

.

Siegfried: Escute, é obvio que, se seu eu já descobri isso…Loki também já sabe, é inútil continuar com o teatro! Revele logo sua missão!

.

Síbia começa a chorar, por momento sentiu que estava tudo acabado…porém logo percebeu que isso não podia acontecer! Não enquanto ela ainda estivesse viva!

.

Síbia: Não!…Não é verdade! Eu ainda não fracassei!

.

Siegfried percebe, que as palavras de Síbia não tinham nada a haver, com suas perguntas, ela provavelmente estava perdida em seus pensamentos

.

Siegfried: Mas vai fracassar se lutar comigo! Deixe-me passar, procure alguém com um nível mais próximo ao seu para lutar!

.

Síbia: Não posso fazer isso!

.

Siegfried: Por quê?!

.

Síbia: Porque esta luta está além da minha missão! Eu tenho que impedir você! Para salvar o Nimbul! Para garantir que ele complete a missão dele! Se eu deixar você passar estarei condenando Nimbul a morrer sem completar sua missão! Eu não posso permitir que isso aconteça! NÃO POSSO!

.

Síbia começa a aumentar seu cosmo, sua determinação é impressionante e era obvio que algo acima do dever estava lhe impulsionando! Siegfried logo entende o que é, conhecia este sentimento muito bem!

.

Siegfried: Você o ama não é?

.

Síbia: Sim!

.

Síbia não tinha mais vergonha deste sentimento. Uma guerreira não podia se dedicar mais a um homem de que seu deus, por isso ela tentava esconder seu amor… mas agora que tinha perdido todo o resto… Nada lhe importava mais que este sentimento!

Siegfried, por outro lado, não podia lutar com ela… agora mais do que nunca! Não podia destruir este sentimento não de novo! Não podia repetir seu maior pecado!

.

Siegfried: Então, eu realmente não posso lutar com você!

.

Síbia toma uma posição de combate, com certa dificuldade, seu corpo está tremulo e fraco, mas isso não importa! Não podia desistir agora que conseguia sentir aquele sentimento de novo!

.

Síbia: Então terei que forçá-lo a isso!

.

Síbia começa a concentrar seu cosmo em seus punhos, duas bolas de energia se formam em suas mãos, logo estas começam a emitir raios de luz como se fossem duas estrelas. Então a guerreira começa movimentar suas mãos coordenadamente, como se estivesse preparando um golpe. Os corpos celestes em suas mãos vão deixando pequenas faíscas por onde passam, estas também emitem muita luz, formando vários pequenos pontos luminosos como num  céu estrelado. Logo inúmeros pontos surgem em volta de Síbia com se fossem varias estrelas. Neste momento a guerreira começa a flutuar.

Siegfried decide dar está chance a Síbia, se ela queria tanto defender seu amado, tinha o direito pelo menos de tentar

.

Siegfried: É um golpe muito bonito! Mas será que é efetivo?

.

Síbia não responde mais e mais estrelas se formam ao seu redor, então ela abre os seus braços. As estrelas brilham com mais força como se estivessem a ponto de explodir

.

Síbia: É efetivo o suficiente, para o quê eu quero! FALLING STARS!(ESTRELAS CADENTES)

.

As estrelas avançam contra Siegfreid, deixando um grande rabo de energia para trás, como se fossem vários cometas. A tempestade estelar é gigantesca e muito poderosa, as estrelas formam uma verdadeira rede da qual é impossível escapar, porém o guerreiro lendário não parece muito preocupado

.

(Siegfried): É só isso?

.

As estrelas atingem Siegfried inúmeras vezes, porém não são efetivas, apesar de serem muito poderosas e causarem uma grande explosão quando se chocam contra o guerreiro, elas não conseguem atravessar sua proteção draconiana. Porém geram muita luz, o quê quase cega Siegfried por um segundo. E neste momento ele sente algo passando por ele, uma mão toca o seu peito e parece deixar algo lá. Quando a luz cessa, percebe que Síbia se moveu rapidamente enquanto o ataque ocorria e agora estava atrás dele, a guerreira estava ajoelhada e de costas para o guerreiro

Então ela se levanta

.

Siegfried: O que você fez?

.

Síbia sorri

.

Síbia: Eu apenas garanti, que você vai lutar comigo!

.

Do peito da guerreira surgi um pequeno fio de luz, a outra ponta deste está presa ao peito de Siegfried

.

Siegfried: Você escondeu isso no meio de seu ataque, não é?

.

Síbia: Sim! Eu sabia que meu ataque não seria efetivo, por isso o usei para distraí-lo, enquanto prendia o Star Link (Ligação estalar),no seu corpo. Agora você não poderá se afastar de mim, este fio cósmico está ligado a minha essência e só deixara de existir quando eu morrer! Mesmo que você o corte com sua espada lendária ele se regenerará instantaneamente! Agora se quiser sair daqui, terá que lutar comigo!

.

Siegfried percebe que caiu numa armadilha, mas se pergunta se teria outra saída, afinal sabia que Síbia não ia deixá-lo partir, não enquanto estivesse viva. Uma pessoa apaixonada faria de tudo para proteger seu amado, até mesmo perder a própria vida

.

—————————————

.

Hyoga acorda no meio da neve, por quanto tinha dormido? Sua cabeça ainda estava meio zonza, e era difícil lembrar-se do que aconteceu. Porém sabia que tinha lutado com alguém e que tinha vencido… mas o adversário tinha ferido seu corpo e muito! O cavaleiro pensava que ia morrer, por causa das lesões. Mas agora percebe uma coisa estranha, seu corpo não possuía uma lesão, seus ferimentos tinham se curado como mágica!

.

????: Finalmente acordou Hyoga

.

O Cavaleiro olha em volta procurando o dono da voz, logo vê um guerreiro com uma armadura baseada numa árvore sentado numa pedra próximo a ele

.

Hyoga: Aberich! O que aconteceu? O que você fez comigo?

.

O guerreiro lendário se levanta

.

Alberich: Isso é jeito de agradecer quem salvou sua vida? Eu te encontrei quase morto, por isso o curei usando algumas sementes da minha armadura. A árvore Yggdrasil possui muito poderes sabia disso?

.

Hyoga se levanta meio culpado, era obvio depois disso que Alberich XIII estava só tentando ajudar, mas era difícil confiar em alguém que se parece tanto com o guerreiro traiçoeiro que ele enfrentou

.

Hyoga: Desculpe. Obrigado!

.

Alberich se aproxima do cavaleiro

.

Alberich: Alias esta é segunda vez que eu te salvo hoje…Nunca vi alguém mais desconfiado! Deuses!

.

Hyoga tenta mudar de assunto.

.

Hyoga: Bom, mas o que aconteceu, com aquela guerreira que você estava enfrentando?

.

Alberich sente uma profunda tristeza ao se lembrar de Inua, seu coração ainda despedaçado por causa daquilo…não importa o quanto  tenta-se esconder ou negar, a verdade é que ele estava sofrendo muito!

.

Alberich: Ela….morreu

.

Hyoga sente que existe algo a mais por trás daquela resposta, Alberich  parecia estar escondendo algo

.

Hyoga: Como assim morreu?

.

Alberich se mostra muito alterado

.

Alberich: Como, como assim? Eu a matei, eu derrotei o inimigo e consegui outro rubi de Thor! Fim da historia!

.

Hyoga: Calma!

.

Alberich obviamente não segue o conselho de Hyoga. Como poderia fazer isso, naquela situação?

.

Alberich: Calma…desde de quando isto é da sua conta! Vamos! Sinto que Seiya e Shiryu estão se aproximando daqui, temos que encontrá-los e ir para Valhalla. Acredito que nos não fomos os únicos a serem atacados.

.

Hyoga percebe que Alberich está certo, realmente não era hora de ficar se preocupando com detalhes

.

Hyoga: Tem razão, vamos encontrá-los então

.

Os dois se correm na direção onde sentem o cosmo de Seiya e Shiryu, ao passar pelo corpo de Donnar Hyoga recolhe o rubi de Thor do guerreiro caído e pensa

.

(Hyoga): Espero descobrir suas verdadeiras intenções um dia, Donnar. Descanse em paz

.

————————————————–

.

Nimbul e Dagno estão lutando, os dois guerreiros trocam inúmeros golpes, porém a maioria é ineficiente, a luta esta equilibrada e ambos conseguem se defender do adversário, Porém aos poucos, o guerreiro de Thor começa, a sentir o peso de seus ferimentos da luta com Siegfried, dores invadem seu corpo, seus reflexos e sua força diminuem, por isso a luta começa pender para o lado de Dagno. O Guerreiro de Loki ataca cruelmente seu adversário visando atingir suas lesões. Sem conseguir se defender Nimbul se vê forçado a se afastar

.

Dagno: O que foi? Pensei que ia ser mais difícil lutar com você! Afinal é o guerreiro mais forte de Thor certo? Onde está aquela força, que até os deuses temem?

.

Nimbul está cansado demais, para responder às provocações de Dagno, todo seu corpo implorava que desistisse, mas não podia parar, não agora que Síbia corria perigo! Tinha que acabar com Dagno e logo

Por isso sem dizer uma palavra Nimbul avança empunhando seu poderoso machado, porém sua velocidade está muito reduzida por causa de seus ferimentos. E por isso Dagno consegue ver os movimentos de seu adversário perfeitamente

.

(Dagno): Patético! Ele mal consegue se mover e acha que pode me vencer! Eu vou fazer este traidor sofrer….vou destruir a esperança dele!

.

Dagno salta e vai até Nimbul com uma grande velocidade, normalmente o guerreiro de Thor poderia escapar deste ataque, mas seu corpo está tão debilitado que mal consegue ver seu adversário.

.

Dagno: BURNING CLAW (GARRA INCANDECENTE)!

.

O guerreiro de Loki crava sua garra no corpo de Nimbul, o guerreiro não consegue escapar do golpe. Sente a dor da garra entrando em seu abdômen, todo seu corpo começa  queimar, é difícil se mover, tudo que lhe mantém consciente é a dor! Uma dor gigantesca e latejante, que parece estar aumentando e queimando seu corpo por dentro. Sente vontade de gritar, mas lhe falta fôlego, seu corpo se enche instantaneamente de suor, seu coração bate forte forçando o sangue a ir para a periferia do seu corpo na esperança de dispersar o calor…mas é inútil. Porém o guerreiro ainda sorri

.

Nimbul: Muito bem!

.

Dagno fica confuso

.

Dagno: O que?

.

Neste momento Nimbul agarra o braço direito de Dagno que ainda está cravado em seu abdômen, uma corrente elétrica se forma entre a sua mão e o braço do adversário, impedindo que este tire a garra de seu corpo.

.

Dagno: Me solta!

.

De súbito a intenção de Nimbul fica clara! Ele sabia que não ia conseguir atacar Dagno, no estado em que estava, por isso atraiu guerreiro para si usando seu próprio corpo como isca! Agora que seu adversário estava preso ao seu corpo, não poderia escapar de seu golpe!

.

Nimbul: Agora eu vou acabar com tudo! Contemple o… Ah!

.

Neste momento sente algo perfurando suas costas, próximo ao seu ombro esquerdo, isso faz com que perca a força no membro, e assim acaba soltando braço de Dagno, a corrente elétrica se desfaz. Nimbul começa a se sentir cada vez mais fraco, como se seu cosmo estivesse sendo sugado. Então o guerreiro cai de joelhos no chão. Enquanto Dagno recolhe seu braço

.

Dagno: Irmã! O que está fazendo aqui?

.

Por trás do guerreiro de Thor surge outra guerreira de Loki, possui uma armadura baseada num lobo, que é bem semelhante à armadura de Dagno, porém em vez de ser vermelha, é azul escura como o céu da noite. Possui uma longa garra azul clara garra na proteção da mão esquerda que é cravada no ombro de Nimbul, a mão direita possui uma proteção que se assemelha a uma cabeça de lobo e estende por todo o braço direito. A face esquerda da guerreira está coberta por uma mascara em forma de C como uma lua crescente, cobrindo assim a face e o olho esquerdo e deixando a face direita exposta, a máscara também possui grandes orelhas caninas que se projetam para cima. As costas da armadura possuem uma lua minguante desenhada em alto relevo, o resto da armadura lembra muito as formas de um lobo e ao mesmo tempo se adapta a curvas femininas da guerreira. Seu olho esquerdo exposto é negro azulado como o céu da noite e o direito está encoberto por uma proteção em forma de olho de lobo. Seu cabelo se estende até os ombros e é negro, como a escuridão da noite.

.

Nimbul mal consegue se mexer, porém mesmo assim ele percebe quem é a guerreira que o atacou.

.

Nimbul: Você é Mani de Hati, o lobo raivoso!

.

A guerreira que era protegida por Hati, o lobo que engolirá a lua no Ragnarok, se revela. Dagno parece estar levemente alterado pela presença da irmã

.

Dagno: Irmã, porque me interrompeu?

.

Mani tira a garra esquerda das costas de Nimbul e lambe o sangue que está cobrindo esta, demonstrando um certo prazer ao fazer isso, depois coloca as mãos na cintura assumindo uma postura de indignação

.

Mani: Isso é jeito de agradecer, quem salvou sua vida?

.

Dagno não quer admitir esta é a dura verdade, de fato, estaria morto agora, se Mani não tivesse interferido

.

Dagno: Hum, eu já ia livrar disso e matá-lo

.

Mani se vira as costas para Dagno, obviamente não queria nem tinha tempo para lidar com a revolta patética do irmão

.

Mani: Certo! Continue tentando se convencer disso, enquanto eu destruo aquelas deusas

.

O temperamento explosivo de Dagno se mostra novamente

.

Dagno: O que? Além de zombar de mim, quer roubar minha gloria?! Eu vou…

.

Mani se vira para o irmão estende a mão aberta para este, fazendo  sinal para que  pare de falar

.

Mani: Eu não lhe roubando nada, você pode ter a gloria de matar este traidor e se apressar pode me ajudar a matar as outras. Acho que vai conseguir fazer isso, afinal Nimbul não vai oferecer muita resistência agora que recebeu a combinação de nossas garras.

.

Dagno se acalma um pouco, realmente parecia que a irmã só queria ajudá-lo

.

Dagno: Ham…Muito bem, então eu vou matá-lo e já alcanço você

.

Nimbul faz um esforço enorme para aumentar seu cosmo e falar da forma mais intimidadora possível

.

Nimbul: Ninguém aqui vai a lugar a algum! Eu vou acabar com vocês e completar minha missão! Ah!

.

Nimbul tenta se levantar, porém seu corpo está muito tremulo e muito fraco, suas mãos também vão ao chão, toda a sua força parecia estar sendo sugada e substituída por outro poder quente como o sol!

.

Nimbul: O que é isso! Eu não…. consigo me…. mexer direito! Toda a minha força…está se esvaindo!

.

Mani se aproxima de Nimbul e fala com certo prazer sádico

.

Mani: Está é a combinação da Moon’s Claw (Garra Lunar) e da Burning Claw (Garra Incandescente). Enquanto a minha garra suga todo seu cosmo e o passa para mim, a garra do meu irmão preenche este espaço vazio onde ficava seu cosmo, com um poder incandescente como o sol. Em outras palavras os dois golpe se completam e tornam sua morte muito mais rápida! Porém também aumentam e muito seu sofrimento!

.

Dagno se aproxima de Nimbul e levanta sua garra direita

.

Dagno: Porém não temos tempo para esperar que morra pelas garras! Por isso eu vou te matar agora!

.

Nimbul não consegue reagir seu corpo está fraco, não sente mais dor, porém ainda sente a culpa de ter falhado novamente. E o pior de tudo é que nem pôde salvar a pessoa que mais ama… Não pôde salvar Síbia! Por isso fecha os olhos e derrama lagrimas de culpa e desesperança

Dagno concentra seu cosmo quente em sua garra, que é envolvida por uma aura laranja, sua intenção de matar Nimbul é obvia. Porém antes que pudesse baixar sua mão, um raio prateado atinge seu pulso direto e se enrola a este impedindo que siga seu caminho! Quando olha para seu braço, percebe que o que impediu seu golpe fatal e derradeiro se tratava de uma corrente com a ponta em forma de circulo, que surgiu por suas costas! Ao se virar, pode ver o dono da arma

.

Dagno: Você?

.

Nimbul consegue abrir os olhos e ver seu salvador

.

Nimbul: Andrômeda!

.

Shun o cavaleiro de Andrômeda tinha interferido na luta

.

Shun: Eu não posso deixar que mate um guerreiro que luta pela justiça! Receba a THUNDER WAVE (ONDA RELÂMPAGO)!

.

Shun lança sua corrente triangular, que ziguezagueia no ar numa velocidade impressionante até atingir o rosto de Dagno e jogá-lo para longe de Nimbul. Neste momento Shun recolhe suas correntes e salta na direção do guerreiro de Thor. Mani não perde tempo e salta para interceptar o cavaleiro, porém este já preparava outro ataque

.

Shun: NEBULA STORM (TEMPESTADE NEBULOSA)!

.

Shun estende sua mão direita e a partir dela surge uma grande tempestade de vento rosa, tão violenta que poderia destruir qualquer coisa em seu caminho. Porém a guerreira de Hati age rapidamente, enquanto esta no ar e se envolve com uma poderosa aura cósmica redonda que se assemelha a uma lua cheia. E assim é só jogada para longe pelo ataque do cavaleiro.

Depois de lançar o ataque Shun dá uma cambalhota no ar e pousa próximo a Nimbul, então fica de costas para este e estende seu braço esquerdo para cima

.

Shun: Proteja-nos corrente! ROLLING DEFENSE (DEFESA CIRCULAR)!

.

A corrente circular sobe como um tornado e envolve os dois guerreiros da justiça, protegendo-os de tudo. Dagno se levanta e limpa o sangue que escorre da sua boca, então olha para o cavaleiro como um lobo raivoso

.

Dagno: Quantos mais intrometidos se colocarão entre mim e minha gloria?!

.

Shun fala com a voz de decisão, que todo o defensor da justiça possui

.

Shun: Não existe nenhuma gloria em tirar a vida de alguém! A vida é a coisa mais preciosa de todo este universo e deve ser protegida não destruída. Eu sou um cavaleiro, é meu dever defender toda a vida desta terra! Por isso se você pretende conseguir a gloria a custa da vida de alguém! Eu irei impedi-lo!

.

Dagno fica ainda mais irritado com as palavras do cavaleiro.

.

Dagno: Você não passa de um idiota hipócrita ,cavaleiro de Atena! Quantas vidas você já destruiu em nome dessa sua justiça? Eu vou fazer você engolir suas palavras!

.

Nimbul chama a atenção de seu protetor

.

Nimbul: Andrômeda porque está me protegendo?

.

Shun olha para o guerreiro com o olhar sereno que sempre teve

.

Shun: Eu já disse é meu dever proteger todas as coisas vivas!

.

Nimbul: Mas eu sou inimigo!

.

Shun responde com um sorriso

.

Shun: Acha que isso importa? Além disso, eu posso sentir que você defende a justiça assim como eu! Ninguém assim pode ser meu inimigo!

.

Nimbul abaixa seu rosto e esconde seus olhos, como se tivesse vergonha do que está prestes a fazer

.

Nimbul: Sinto muito…mas está enganado!

.

Shun: O que?

.

Antes que o cavaleiro pudesse perceber Nimbul empunha seu machado e desfere um poderoso golpe em seu abdômen, jogando-o para longe. Shun voa até bater na escada que leva até onde Saori está. A deusa Atena se preocupa com seu defensor

.

Saori: Shun!

.

Shun se levanta, um grande hematoma surgiu em seu abdômen, sangue escorre pela sua boca. A dor da traição e da desilusão que está sentindo é muito maior que a dor do golpe de Nimbul

.

Shun: Por que, fez isso?

.

Nimbul faz um esforço enorme para se levantar, usando seu machado como apoio

.

Nimbul: Eu já protegi a justiça e vida deste universo uma vez…!Porém eu falhei em cumprir está missão! Falhei em proteger as vidas que eram mais preciosas para mim! Agora eu só vivo para completar minha missão!

.

————————————————————–

.

Depois de pensar um pouco percebe que ele sempre teve escolha, sempre teve escolha de deixá-la viva, mas agora isso tinha mudado! E isso lhe deixa com raiva, raiva de Síbia pelo que ela fez e raiva consigo mesmo por ter permitido isso. Agora teria que matá-la, teria que destruir o sonho de uma jovem, destruir um sentimento de amor. E mais que tudo teria que destruir o ultimo sentimento que tinha pela sua amada Brunhilda, de outra forma não conseguiria acabar com a vida de Síbia. Isso era muito doloroso, os olhos daquela jovem guerreira tinham a mesma expressão de amor que sua amada tinha…Como poderia destruir isso…pela segunda vez?Seus olhos se fecham de decepção

.

Siegfried: Sabe o que acabou de fazer Síbia?

.

Síbia se coloca em posição de batalha, sua face expressa confiança

.

Síbia: Acho que acabei de salvar o Nimbul!

.

Siegfried: Não….

.

Siegfried abre seus olhos, em seu espírito a imagem de Brunhilda é destruída, uma aura raivosa envolve o guerreiro

.

Siegfried:….Você acabou de destruir o coração dele!

.

Siegfried aponta sua espada para Síbia, a imagem do dragão dourado surge atrás dele

.

Siegfried: GOLDEN DRAGON (DRAGÃO DOURADO)

.

Um dragão dourado se manifesta a partir da espada de Siegfried e então vai na direção de Síbia. De inicio a guerreira não parece estar muito preocupada

.

(Síbia): Eu já vi este golpe, na dele contra o Nimbul, então….

.

Síbia: AAAAAAAAHHHHHHH!

.

Síbia grita de dor ao ser atingida pelo dragão dourado, não tinha conseguido reagir…mesmo já tendo visto o golpe uma vez, o poder de Siegfried era imensamente superior ao dela, não havia como  escapar. Sua armadura se despedaça somente pequenos pedaços sobram em seu corpo, sangue jorra de vários locais, enquanto cai no chão. Sente sua vida se esvaindo, sente que o sofrimento está próximo do fim…talvez ela visse Nimbul para onde estava indo, talvez fosse a hora deixar este corpo vazio morrer….

.

(Síbia): Não!….Ainda não!

.

Não podia morrer ainda! Tinha que completar sua missão! Não suportaria ver Nimbul sabendo que tinha fracassado! Mesmo que esteja prestes a morrer…mesmo que seu corpo estivesse prestes a entrar em colapso não podia morrer ainda! Tinha que agüentar mais um pouco.

.

Siegfried já tinha se virado e já ia se afastando de Síbia, quando sente o fio cósmico prezo ao seu corpo sendo puxado. Ao se virar vê a guerreira de Thor se levando apoiando-se no fio cósmico que ela tinha criado. Sangue escorria pela sua boca, nariz, pelos inúmeros cortes de seu belo corpo e até mesmo pelos seus olhos. Porém uma aura forte e prateada a envolvia o balido de um bode podia ser ouvido a partir de seu cosmo. Este som estava acompanhado pelo piado de uma águia!

.

Siegfried: O que é isso?

.

Síbia tosse sangue enquanto fala

.

Síbia: Esta é a minha ultima força! O último pulsar de luz de uma estrela antes dela se extinguir! Um pulso de luz que tão rápido quanto um relâmpago, mas é também a maior força que ela libera, uma super-nova!

.

Síbia se levanta a chama que envolve seu corpo fica mais forte e maior, seu cosmo está queimando além do limite se seu corpo, até mesmo Siegfried se sente intimidado com tamanho poder

.

Síbia: LIGHTING SUPER-NOVA (SUPER-NOVA RELAMPAGO)

.

Síbia parte como um cometa para cima Siegfried, sua velocidade é impressionante e sua força é gigantesca. Porém o guerreiro lendário consegue se esquivar do ataque, mas a guerreira não desiste ao passar por Siegfried muda de direção e ataca mais uma vez. Seu adversário escapa mais uma vez e ela ataca de novo, este ciclo continua por um tempo

.

Siegfried: Ela é muito rápida, mas não o suficiente para me alcançar! Logo vai queimar tudo que tem e morrerá…só preciso…o que?!

.

Síbia lança uma bola de energia prateada na direção de Siegfried. A esfera é tão brilhante que cega o guerreiro, porém sentindo o golpe com seu cosmo consegue escapar se saltando para a direita, neste momento percebe algo

.

(Siegfried): Acha que não sei que isso foi só um a distração? Você usou a bola me distrair enquanto se posicionava onde eu sabia que eu estar depois que me esquivasse!

.

Compreendo a intenção de Síbia, Siegfried se vira no ar e vê que estava certo, a guerreira estava esperando no local que ele iria pousar. Assim prepara sua espada e a projeta para dar um golpe perfurante em sua adversária. Porém neste momento Síbia sorri

.

Síbia tenta escapar para direita, porém ela não consegue se mover rápido o suficiente e a espada de Siegfried é cravada seu ombro esquerdo. Este era o momento pelo qual ela esperava!

Com seu punho direito ela da um poderoso gancho vindo por baixo, na espada de Siegfried, a ponta arma estava preza entre sua clavícula e sua primeira costela e por isso se dobra por um segundo. Depois Síbia aproveita a impulsão de seu soco e dá um chute no rosto de seu adversário. Com sua espada presa e ainda flutuando no ar por causa de seu salto, ele não consegue escapar. O chute o joga para a esquerda, a espada segue o movimento e corta o ombro de Síbia. Siegfreid pousa no chão depois de voar um metro, o chute nem tinha chegado perto de lhe ferir, na verdade Síbia deveria ter quebrado a própria perna ao fazer aquilo, mas isso não aconteceu, além disso, era estranho ela ter conseguido dar um soco tão forte, sendo que sua mão direita estava quebrada por causa do golpe anterior. Será que aquela aura prateada tinha o poder de cura?

.

Síbia: Agora! SILVER COMET (COMETA PRATEADO)

.

Síbia voa numa velocidade ainda maior e ataca Siegfried com seu punho envolvido por uma aura prateada o qual deixa uma grande cauda como um cometa. O golpe é muito rápido e a distancia entre os dois é muito pequena, por isso ele não consegue escapar. Mas era inútil seu sangue draconiano o protegeria de qualquer coisa…

.

Siegfried: AH!

.

Siegfried da um grito de dor contido. Sem entender o que aconteceu, olha para seu peito e percebe que o punho de Síbia tinha perfurado sua armadura se penetrado em seu peito do lado esquerdo, ignorando sua defesa completamente.

A guerreira retrai sua mão rapidamente e depois cai de joelhos, todo seu cosmo tinha se exaurido, mas tinha consigo fazer algo que achava ser impossível! Tinha conseguido ferir o lendário Siegfried!

.

O guerreiro lendário ainda não entende o que aconteceu, sua mão esquerda vai até seu peito para tentar conter o sangue que agora jorra através do pequeno furo que agora existe nele, estranhamento a perfuração é menor que o punho de Síbia. Sua face está perplexa, não entendia… não entendia como alguém tão fraco tinha conseguido romper sua defesa!

.

Siegfried: Como fez isso?

.

Síbia sorri enquanto tosse mais sangue

.

Síbia: Porque não olha para sua espada?

.

Ao olhar para espada Siegfried percebe que existe uma rachadura mínima, quase imperceptível na lâmina, bem no local onde Síbia tinha acertado seu soco. De súbito Siegfried compreende.

.

Siegfried: Você tirou um pequeno fragmento da minha espada e o usou para perfurar meu peito!

.

Síbia ainda não perdeu o sorriso de orgulho pelo seu feito, seu rubi de Thor começa a emitir um brilho forte vermelho

.

Síbia: Isso! Eu já sabia que sua espada podia perfurar sua proteção, eu vi sua luta com Nimbul.  Agora seu ferimento não vai se regenerar, o fragmento impede isso, e como ele é muito pequeno você não vai conseguir tirá-lo então eu venci!

.

Siegfried: Mas ainda não entendi como conseguiu tirar um fragmento da minha espada, ela é uma arma divina

.

Síbia: O Nimbul me disse uma vez: O limite da vida de um ser humano é onde ele pode…

.

Siegfried completa a fala de Síbia, com um sorriso

.

Siegfried:…Realizar um milagre!…Hum fui eu que ensinei isso a ele! Muito bem Síbia, gostaria de dizer que você conseguiu me vencer com este belo golpe…um golpe impulsionado por um  sentimento tão forte, poderia realizar este milagre! Mas….

.

Síbia percebe que a algo errado o sangue de Siegfried que está em braço começa a ferver!

.

Síbia: O que é isso?!

.

Siegfried fecha os olhos

.

Siegfried: Infelizmente não posso deixar que me derrote! Nimbul é muito forte! Eu sou único que pode oferecer um bom combate para ele!…Ele poderá matar muita gente se não lutar comigo! Eu tenho que sair daqui!

.

O sangue que sai do peito de Siegfried começa a pulsar e alternar entre as cores vermelha e dourada. Então como se adquirisse vida se movimenta-se como uma cobra e penetra no ferimento do guerreiro, depois de forçar um pouco, tira o fragmento de espada e o joga para longe. Este brilha magicamente e volta a encaixar na lamina da espada. O sangue de dragão voa e envolve a arma sagrada, ao brilhar mais uma vez ele conserta a lâmina. Siegfried abre os olhos e derrama uma lagrima

.

Siegfried: Sinto muito Síbia…gostaria que fosse diferente, mas morra feliz sabendo que conseguiu completar sua missão! DRACONIAN SPIRITS (ESPIRITOS DRACONIANOS)

.

O sangue draconiano cura o ferimento de Siegfried, então começa a voar e a tomar a forma de um pequeno dragão dourado. A fera voa na direção de Síbia, a guerreira não tem mais forças para escapar, mas está feliz por completar sua missão… talvez encontre Nimbul no local para onde vai, talvez possa ser feliz com ele lá

.

(Síbia): Até logo Nimbul!

.

Síbia: AAHH!

.

O dragão de sangue perfura a cabeça de Síbia e ela cai no chão, uma morte sem dor é tudo que Siegfried podia fazer por ela. Então guerreiro voa de volta para Valhalla deixando o corpo da guerreira para trás

.

———————————–

.

Dagno está cansado de tantos obstáculos se meterem, entre ele e sua gloria! Agora Nimbul mesmo moribundo quer lutar novamente… que esforço inútil e patético! Ele irá matá-lo com sua maior técnica para que aprendesse a não ser tão insolente!

.

Nimbul: Vamos! Ninguém vai sair daqui, antes de me derrotar

.

Há segundos atrás Nimbul teria aproveitado está chance para salvar sua amada, mas agora que não sentia mais o cosmo dela, tinha perdido tudo! Seu espírito amaldiçoava seu cruel destino, queria acabar logo com esta vida ingrata, para poder ver Síbia novamente. Sabia que seu mestre logo voltaria para matá-lo, por isso tinha que agüentar pelo menos até lá

.

Dagno se levanta uma aura raivosa e quente envolve seu corpo! O chão a sua volta começa a derreter com o calor!

.

Dagno: Então vamos acabar logo com isso! Eu vou consumir sua alma…Nunca encontrará a paz que procura!  E nunca mais irá vê-la de novo! Este é o seu castigo traidor! SUN CONSUMER (CONSUMIDOR SOLAR)

.

O pequeno sol que Dagno introduziu no corpo de Nimbul se expande de uma vez só! Nimbul sente uma grande dor que dura poucos segundos, depois ele se vê dentro de uma esfera laranja, semelhante ao sol! Logo ele percebe que aquela esfera se tratava de seu próprio cosmo! Ao olhar para Dagno percebe que este está preparando para engolir o sol que seu cosmo se tornou!

.

Dagno: Agora eu vou ter minha…

.

Siegfried: GOLDEN DRAGON (DRAGÃO DOURADO)

.

Como se viesse do nada um dragão dourado gigante atinge Dagno e o joga para longe. O sol que envolve Nimbul entra em colapso e desaparece. Neste momento Siegfried de Fafnir volta a ficar frente a frente com seu discípulo. De certa forma o guerreiro de Thor estava aliviado, agora poderia acabar a luta com seu mestre e completar sua missão. Porém isso dura pouco… Nimbul percebe o obvio. Para Siegfried estar lá ele teria que matado Síbia! A raiva de ver o assassino de sua amada toma conta de seu corpo, enquanto o guerreiro lendário se aproxima

.

Nimbul: Você a matou!…Como pôde? Ela era tão…

.

Siegfried interrompe

.

Siegfried: Eu sei muito bem o que ela era Nimbul!  Não sabe o quanto isso foi difícil para mim! Mas saiba que ela procurou isso! Agora que entendi o objetivo de vocês, o mínimo que posso fazer é mandá-lo para junto dela

.

Nimbul não queria ouvir as justificativas de Siegfried! A raiva e a culpa tinham tomado seu corpo e seu espírito. Não via mais Siegfried, só via um demônio assassino que destruiu seu coração. Não sentia mais dor, só raiva, não ouvia mais as palavras de seu mestre, em vez disso ouvia a voz de Síbia nas poucas memórias felizes que ele tinha com ela. Todos seus sentidos estavam concentrados em uma só coisa…Vigança!

.

Nimbul: AAAAAAAHHHH!!!

.

Nimbul parte para cima de Siegfried com a raiva que possui. Porém ao sentir um cosmo conhecido ele se detém… Sabia muito bem a quem aquele cosmo pertencia, mas quase não acredita no que sente até que vê sua amada, até que vê Síbia!

.

Nimbul: SÍBIA!

.

Síbia: Eu ainda não acabei, Siegfried!

.

Siegfried: O que!

.

Siegfried percebe que a guerreira de Thor está nas costas agarrada a seu corpo, não entende como aquilo era possível, tinha a visto morrer… Como ela tinha voltado?!

.

Siegfried: Como está vi….

.

Siegfried interrompe sua fala ao ver o estado que Síbia esta. Nimbul também perde toda sua recém recuperada esperança, ao ver o estado de sua amada

.

O corpo de Síbia já tinha entrado em colapso… Alguns fragmentos do que costumava ser sua pele agora cobriam um corpo de energia prateada! O corpo dela não tinha agüentado seu esforço extremo estava se destruindo aos poucos, seu espírito teimoso tinha impedido que morresse e criado um corpo cósmico!

.

Síbia: Se quer como, acho que deve agradecer ao meu irmão!

.

Minutos atrás——————————————————

.

Síbia contemplava as estrelas, nos últimos suspiros de seu corpo, podia descansar tinha completado sua missão, logo poderia ver seu irmão e Nimbul.

.

(Síbia): Sinto muito Nimbul acho que não consegui segurá-lo… só espero que consiga sua missão…queria te ajudar mais, mas eu não consigo.

.

?????: Não pode morrer ainda irmã!

.

Síbia ouve uma voz vinda da penúltima estrela da constelação de Ursa Menor

.

(Síbia): Donnar!

.

A imagem do guerreiro da estrela zeta surge no céu noturno

.

Donnar: Síbia, Nimbul está muito fraco… ele não vai conseguir ativar o rubi dele assim! Você tem que ajudá-lo senão tudo será em vão!

.

Síbia: Mas Donnar o que posso fazer? Já estou quase morrendo, não consigo mais me mexer…como posso ajudar o Nimbul?

.

Donnar: Síbia você ainda não perdeu o que mais lhe importa! Não perdeu seu cosmo e não perdeu o seu amor pelo Nimbul! Vai deixar que ele morra sem que cumpra sua missão? Você mesmo disse que iria fazer de tudo para ajudá-lo….Você já fez um milagre hoje irmã pode fazer outro…lembre você não está  sozinha…eu estou com você! Não só eu na verdade… todos os guerreiros de Thor estão com você! Você não pode desistir ainda!

.

Síbia percebe que todas as estrelas dos guerreiros de Thor que já se foram estão brilhando, sente o cosmo de seus companheiros lhe apoiando lhe dando forças para se levantar mais uma vez!

.

Síbia: Será que eu consigo?

.

Donnar: Claro que consegue irmã, agora que você está ouvindo as estrelas de novo, nada pode pará-la!

.

Síbia sempre foi capaz de ler as estrelas, via o futuro e o passado das pessoas nelas, as constelações falavam  com ela…porém desde que falhou em proteger seu deus, não conseguia mais ouvi-las… e por isso sempre se sentia muito triste e sozinha…mas agora que voltou a ouvi-las seu coração volta a se encher de esperança, não podia parar, ainda havia algo a ser feito

.

Presente————————–

.

Síbia tinha acabado de transmitir toda está cena para Siegfried através de seu cosmo. O guerreiro ainda não entendia como isso tinha dado a ela forças para se levantar, talvez as estrelas estivessem alimentando seu cosmo…. será que isso era possível…?Porém independente de como Síbia estava lhe prendendo, não conseguia se soltar sentia que existiam mais cosmos ajudando a guerreira

.

Síbia: Nimbul não fique triste eu e todos os outros guerreiros de Thor sempre estaremos com você, por favor, não desista! Sei que você vai conseguir completar a missão, sei que vai nos deixar muito orgulhosos!…Até logo Nimbul…Até logo meu amor!

.

Síbia joga seu rubi de Thor para Nimbul, depois começa a se elevar junto com Siegfried.

.

Nimbul pega joia e então entende a intenção de sua amada

.

Nimbul: Não Síbia! Não faça isso!

.

Síbia: STAR RIDER( VIAJANTE DAS ESTRELAS)

.

Síbia e Siegfried voam para o céu como se fossem um cometa, deixando uma bela cauda prateada para trás, Nimbul acompanha a estrela que sobe para o céu até que ela despareça, uma lágrima rola pelo seu rosto, então olha pelo rubi de sua amada que ainda emite um belo brilho vermelho

.

(Nimbul): Síbia….

.

O brilho do rubi muda de cor se tornando prateado…a cor do cosmo de Síbia. Pode-se ouvir a voz dela vinda do rubi

.

Síbia: VALCARY’S CURE( CURA DA VALQUIRIA)

.

O Rubi emite um pulso de luz prateada, a luz cura os ferimentos de Nimbul de uma vez só recobrando suas forças. Ela usou suas ultimas para curar seu amado. Nimbul fica sem reação, sua força voltou, mas seu coração ainda está despedaçado, todos tinham morrido novamente ele estava sozinho de novo. Seus olhos se fecham e ele derrama uma lagrima enquanto aperta o rubi de sua amada

.

(Nimbul): Será que falhei novamente?

.

Mani de Hati começa a se aproximar de Nimbul, tinha aproveitar o momento que ele estava catatônico para matá-lo rapidamente, agora que ele tinha recobrado suas forças seria muito difícil derrotá-lo num combate direto, por isso não podia perder esta chance. Dagno também se levanta aquele ataque de Siegfried lhe machucou muito, na verdade só a raiva o mantinha de pé, tinha raiva de todos os insolentes que ousaram se meter em seu caminho, principalmente de Nimbul, aquele traidor tentava enganar todos com discursos de honra, quando ele mesmo não tinha nenhuma, o guerreiro de Thor não passava de um hipócrita. Dagno queria matá-lo, tinha que matá-lo!

Os dois lobos se aproximam de sua presa, esta parece estar perdida em seus pensamentos perceber o que está acontecendo. Os dois se posicionam um na frente e outro nas costas de Nimbul e saltam a atacar-lo, porém depois de avançar alguns metros no ar, eles param como se alguma força os segura-se. Raios começam a surgir envolta deles vindos do guerreiro de Thor, estas cargas os prendem no ar e limitam seus movimentos

.

(Nimbul): Não! Eu ainda estou vivo! Eu ainda não falhei!

.

Nimbul guarda o rubi de sua amada junto ao seu peito, próximo ao seu próprio rubi, depois segura seu poderoso machado de cabo longo com as duas mãos e o gira de modo que ele fique acima de ombro direito e apontado para trás e para alto.

.

Nimbul: Voltem para o céu, de onde nunca deveriam ter saído! EAGLE RISING (ASCENÇÃO DA AGUIA)!

.

Nimbul da um giro de 360º graus partindo da direita para esquerda com seu machado, ao passar pela frente de Dagno ele lança uma asa elétrica e ao passar pela frente de Mani lança outra. Os dois golpes atingem seus alvos paralisados pela força elétrica e os impulsiona para cima. Os dois lobos voam para o céu estralado, como duas águias que buscam alcançar o reino dos deuses. Enquanto eles sobem pode-se ouvir gritos de terror e derrota, até que os dois raios dourados de eletricidade desaparecem.

.

Nimbul dá um suspiro, seu coração ainda estava quebrado, mas seu espírito não! Não podia decepcionar todos que confiavam nele, iria completar sua missão mesmo que tivesse que enfrentar uma deusa para isso!

.

(Nimbul): Síbia…tudo que você queria é que eu completa-se minha missão, sabia que  eu nunca seria feliz se não pudesse fazer isso…..não deveria ser assim! Você deveria ser o suficiente para garantir minha felicidade! Mas eu fui muito tolo demais para perceber… mas não posso desperdiçar o voto de confiança que você deu a mim…na verdade não é só você, não é?  Sinto que todos os meus companheiros ainda confiam em mim… .mesmo depois de eu ter falhado com vocês, eu não mereço isso! Mas se mesmo assim confiam em mim, eu não posso perder!

.

Com a força de todos os guerreiros de Thor lhe empurrado, Nimbul se dirige até Atena e Skadi, um deus deveria ser um bom adversário para ele… Porém um cavaleiro se coloca na sua frente.

.

Nimbul: Andrômeda, saia da minha frente! Você salvou minha vida, por isso não gostaria de te matar!

.

Shun ainda não entendia qual era a intenção de Nimbul. Sabia que este estava lutando pela justiça, mas não sabia qual justiça era esta! Além disso, estava muito ferido, era provável que não agüentasse esta luta. Mas apesar de tudo isso ele ainda era um cavaleiro de Atena!

.

Shun: Desculpe Nimbul, mas eu também uma missão assim como você! E a minha é proteger Atena a qualquer custo!

.

Saori não pode deixar de se preocupar com estado de Shun, não podia deixar que ele lutasse naquelas condições!

.

Saori: Shun não! Você está muito fraco! Deixe que ele..

.

Shun interrompe

.

Shun: Por favor, não me peça para fazer isso Senhoria Saori…Hyoga, Shiryu e Seiya me deixaram encarregado de sua proteção! Eu não posso descansar enquanto você corre perigo, eles não perdoariam… na verdade nem eu me perdoaria! Deixe que eu fique aqui!

.

Saori fica impressionada com a determinação de Shun, ele era realmente um cavaleiro! Sabia que na verdade o garoto não carregava só confiança de seus amigos…também carregava a confiança de seu irmão e de todos os cavaleiros de ouro que confiaram a vida de Atena a ele e aos outros cavaleiros de bronze. Por respeito a todas estas vidas ela não podia ir contra o desejo dele!

.

Saori: Tudo bem Shun!

.

Nimbul também fica impressionado com as palavras de Shun.

.

Nimbul: Realmente, você é um homem muito honrado Shun de Andrômeda, queria poder não lutar com você! Mas assim como você eu não posso decepcionar aqueles que confiam em mim!

.

Nimbul prepara-se para atacar Shun, porém neste momento uma verdadeira parede de fogo se forma entre o guerreiro de Thor e o cavaleiro. Piados de uma ave podem ser ouvidos vindos da chama! Junto com uma voz masculina

.

?????: Então isso que a sua missão? Enfrentar um homem ferido e cansado?

.

Shun reconhece a voz, mas fica sem palavras.

O fogo se dissipa e um homem surge entre Shun e Nimbul. Sua armadura é branca com detalhes azuis e laranjas, possui três rabos de penas saindo das costas e suas formas lembram uma ave mitológica. Seu cabelo é negro azulado, sua expressão é intimadora, mesmo estando de olhos fechados. Sua aura é laranja e quente, como o fogo da criação

.

Cavaleiro: Acho que seus companheiros não aprovariam isso não é?

.

O cavaleiro abre seus olhos e emite uma grande onda de calor

.

Cavaleiro: Por isso… Eu Ikki de Fenix! Serei seu adversário!

.

Fim do Capitulo 36

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s