Capitulo 46

 Elos antigos, elos herdados, elos quebrados

.

O que era sensação? Como deus oniciente e poderoso que Loki era, existiam poucas perguntas em sua mente, existiam muitas certezas: Ele tinha planejado isso;Todos foram manipulados da maneira certa; Cada ação foi planejada, prevista e adaptada para seu proveito. Mesmo assim ele não sabia o que era aquela sensação, Ansiedade? Estaria ansioso pela batalha, pelo poder, pela vitoria inevitável?Não,  era uma sensação que lhe deixava nervoso, que fazia seu corpo tremer, mas não era isso. Agitação? Sentia que milhares pensamentos passavam por sua cabeça, seus sentidos estavam aguçados, assim como ele tomava quando ele tomava a forma de lobo…Mas não era isso, era uma excitação, mas não como os predadores sentiam, antes de saltar em cima de suas presas, era mais como a presa se sentia, a sensação de estar sendo observado, de não estar seguro.Ele já tinha sentido traços dessa sensação  quando possuía um cavalo perdido numa floresta, ou quando entrava em humanos fracos. Seria uma sensação da guerreira que ele estava possuindo nesse momento? Ou de sua irmã? Não! Era uma sensação dele que subia por sua espinha, como um calafrio….Era Era

.

?????: Medo!

.

Uma voz baixa ecoa dentro de sua mente, podia reconhecer de quem era. Driffa, a Wave Nikr ,que ainda lutava contra sua possessão,  sussurrava em seu ouvido…Medo! Ele, um deus, estava com medo? Medo de Raam? Porque? Ela não poderia vencê-lo, não poderia atingir seu corpo, não de outro mundo, não com seu escudo o protegendo.

.

Driffa: Ele conseguiu, não é?

.

Ele? Siegfried? Aquilo foi um acidente, um acaso…um erro…uma exceção

.

Driffa: Um fato!

.

Calada! Seu uso estava no fim! Logo você vai desaparecer assim como sua irmã!.. Volte para escuridão caótica que agora forma seu cérebro!

A voz parou mas a sensação não! Ela crescia enquanto um corpo divino emergia do oceano escuro.

.

Raam era bela, seu corpo era forte e lindo…divino. Seu cabelos ondulados como o oceano agitado, possuía curva volumosas como uma grande mãe possuiria…Um rosto decisivo e olhos profundos como fenda oceânica…tão profundos, frios e acolhedores como a morte…Diziam que ela recebia todos os afogados como uma mãe receberia, mas ao mesmo tempo os puxava para o fundo, os seduzia com seu abraçado materno e sufocante…Porém nenhum traço dessa ternura poderia ser visto em sua face. Sua expressão causaria pavor em qualquer ser…mesmo um deus! Sua vestimenta, sua Disna parecia um gêiser, milhares de litros de água atirados para cima por uma grande pressão, parecia ser resistente, mas não solida, era fluida, agitada em constante movimento e mudança de forma.

A deusa emergia de um redemoinho e uma tempestade se formava acima dela, gigante,mas sem relâmpagos, os relâmpagos não eram seus…eles estavam mortos. Ela olhava para o corpo de sua filha possuído por seu inimigo.

.

A mesma palavra saia pela sua boca e ecoava por todos os Nove Mundos

.

Raam: Solte-a!

.

Loki não responde…não consegue

.

Raam não espera mais seu corpo ascende, sobe até ficar na mesma altura de Loki. Os flutuavam no céu se encarando

.

O oceano abaixo de Raam sobe num turbilhão de água e que envolve de uma vez todo o corpo da deusa.

.

Os guerreiros deuses só podiam observar a cena, perplexos. Todos eles permaneciam na praia da ilha central, Fimbul estava inconsciente no chão, sua cabeça descansava no colo de Munin, Siegfried também esta inconsciente e deitado no chão, Shido havia enrolado sua capa improvisando um travesseiro para que o guerreiro de  Dubhe pudesse recostar a sua cabeça. Os outros guerreiros estavam em volta dos três, para assim fornecer alguma proteção para seus companheiros caídos. As Wave Nikr estavam distribuídas pela praia, elas olhavam impacientemente para onde estava sua mãe. June estava com Shun ao seu lado, ela segurava a mão do cavaleiro sem poder dizer nada, a mais nova das irmãs Goll estava dentro do mar a água batia em seu calcanhares, ela olhava com para mãe como um criança ansiosa e preocupada. Hagen olha aquele turbilhão que Raam que envolvia Raam  e se lembra de algo.

.

(Hagen): Isso está parecendo o turbilhão da Goll, mas esse é mais forte, e cosmo de Raam também me lembra o de Goll de alguma forma, mais é muito maior e mais raivoso…mais raivoso ainda!

.

Isso deixava o guerreiro muito apreensivo, ele olha para a menina que ele lutou…ela também estava com medo, todos estavam, mas o medo dela era diferente, ela não temia sua mãe e sim o que poderia acontecer com esta

.

Do turbilhão que envolve Raam surge um braço gigantesco, feito de água, depois mais um braço surge do outro lado. Os dois membros  gigantes se cruzam na frente no tornado de água. O cosmo da deusa parece aumentar e assim como a rotação do turbilhão então os dois braços se descruzam e o fenômeno desaparece numa grande nuvem de vapor. Desta um corpo gigantesco feito de água  emerge, ele me de aproximadamente 50 metros, tem os mesmos traços da deusa mas não veste nenhuma armadura, e a parte abaixo da cintura esta submersa no oceano. Os olhos da gigante são dois grandes redemoinhos e no centro o existe o vazio profundo da morte.  Seus cabelos  se estendem até a superfície da água como uma grande cachoeira. Por um momento de tensão só é possível ouvir o som da água correndo por todo o corpo de Raam.

.

A gigante faz o primeiro movimento. Ela investe seu grandioso braço contra o corpo de sua filha. Porém esta é mais rápida, voa para cima e pousa no punho da mãe,  e corre pelo braço em direção a cabeça, porém que possa chegar uma copia de Raam feita da água  emerge do braço gigantesco na frente. A copia possui o  tamanho de um ser humano e ataca o deus com um soco. Driffa se defende mas logo outra cópia surge em suas costas e lhe dá um chute na cabeça. Logo mais surgem e o deus se vê cercado por cópias ele luta com estas por um tempo. Mas logo vê que é inútil, então dá um soco no braço gigantes onde todo o confronto ocorre, logo o membro completamente negro se solta e cai no oceano assim como todas cópias, desaparecendo neste. Logo outro braço gigantesco surge no lugar do que foi destruído. Driffa voa  e se afasta

.

(Loki): Atacar direto não vai resolver, ela lida com isso com muita facilidade, preciso de algo mais forte

.

Loki cria uma esfera negra em cada mão, depois faz a duas se chocarem juntando as mãos na frente do corpo

.

Driffa: CAOS CRIAÇÃO(CRIAÇÃO DO CAOS)

.

Uma grande onda de energia caótica surge da colisão das esferas, esta avança contra Raam.

A deusa se protege da onda com seus braços, ela aguenta, tenta impedir que esta avance a todo custo.
.

Os guerreiros ficam confusos

.

Shido: Por que ela não desviou ou rebateu a energia.

.

Reginleif responde ao guerreiro, com um cero tom de preocupaçào

.

Reginleif: Nossa mãe parece ainda ter um pouco de razão, ela não quer que esta onda se propague e ameace este mundo ou suas filhas!

.

Os guerreiros deuses começam a ver Raam de uma forma diferente, ela não era um monstro, era uma mãe preocupada com seu mundo e suas filhas…mas até quando este instinto protetor será maior que sua raiva?

.

O cosmo de Raam começa a aumentar cada vez mais, para conter o poder de Loki, todo o Vanaheim começa a temer e ficar mais instável, fendas se abrem no solo e o oceano, o cosmo do mundo começa a sair destas fendas e ir até Raam, o corpo da deusa começa  a brilhar cada a vez mais.

.

Raam: AAAAAAAAHHHHH!

.

O grito da deusa pode ser ouvido por todos os Nove Mundos, todas as Wave Nikr sentem o força da mãe em seus cosmos, sentem seus corpos tremerem e caem de joelhos. Raam então consegue eliminar o avanço do poder de Loki. . Depois ela junta as duas mãos na frente do seu corpo o concentra um grande raio cósmico.

.

Loki também sente o corpo de Driffa tremer, e percebe que teria que fazer algo se não quisesse ser atingido. Porém..

.

(Loki): O que é isso…de novo! Eu não mexer este corpo!

.

Loki sentia o peso no mundo todo nas suas costas, o ar esta mais denso a sua volta, era como ele estivesse se movendo dentro de um liquido muito denso. Logo ele entende.

.

(Loki): Raam está usando este mundo para lutar contra mim. O ar e a até a gravidade do Vanaheim, mudaram para me prender! Mas isso não vai adiantar! Ela não pode atingir meu corpo real desta ma…

.

Bem no meio do pensamento de Loki um grande raio cósmico azul o atinge, jogando-o para cima. Ele sobe até atingir o céu , o raio cósmico de dissipa, as nuvens começam a rodea-lo como um circulo, elas estão carregadas de chuva e relâmpagos,são fortes, densas e intransponíveis, elas giram cada vez mais até formar um verdadeiro tornado circular em volta do deus, mas este não é o fim do ataque, outros elementos, como fogo, gelo, terra, luz , sombra, e metal vem de todo o mundo e se juntam ao fenômeno, logo uma verdadeira esfera elemental se forma em volta do deus, dentro dela ele é atacado por todos os lados ao mesmo tempo e por todos os elementos, seu corpos é destruído e reconstruído milhares e vezes.

Os guerreiros deuses e as Wave Nikr, não podem fazer nada a não ser observar o fenômeno atônicos

.

(Hugin): Aquela esfera…Raam está atacando Loki com todos os elementos, ao mesmo tempo, é como se ele fosse atingido milhares de vezes pela Wind Rose (Rosa dos Ventos), mas mesmo assim eu consigo sentir o cosmo maligno no meio daquele fenômeno, não é como se golpe não estivesse fazendo efeito , mas enquanto ele tiver o caos para recompor o corpo da Driffa, isso não vai ter fim!

.

Porém contrariando os pensamentos de Hugin, o Deus consegue sair voando da esfera elemental, seu corpo é apenas uma massa amorfa de energia caótica, mas ainda é possível, perceber o cosmo inconfundível do deus, emitindo da massa que agora começava a tomar a forma de Driffa. Quando a cabeça e braço direito se consolidam, é possível ouvir a voz do deus da trapaça se alastrar por todo o mundo.

.

Loki: Parece que não entendeu, o quando seus esforços são fúteis! Enquanto eu possuir o caos, poderei reconstruir, este corpo quantas vezes for necessário!

.

Loki retrai o braço dispara um raio de energia  caótica em direção a Raam, que defende o raio com seu braço colossal, o membro feito de água fica completamente negro, e depois desaparece, a deusa cria outro membro gigantesco. Ela olha o deus maligno cheia de ódio,sua boca se abre novamente  e emite um grito incompreensível, em primeiro momento, o som faz todas a criaturas do Vanaheim caírem do chão, aqueles possuem membros para isso tampam seus ouvidos, para tentar abafar o som, mas não adianta, a voz da deusa ecoa no interior de suas mentes transmitindo apenas uma mensagem, uma palavra um comando que até mesmo os seres que não possuem qualquer tipo de linguagem, conseguem entender

.

Raam : SOLTE-A! SOLTE-A, AGORA!

.

————————————————————-

.

Até mesmo o deus da Tempestade Njord, sente terror e apreensão ao ouvir a ordem de Raam, ele sabe que tudo aquilo foi por sua culpa, culpa de sua arrogância… Olhava para a luta divina de cima de uma colina, podia ver que todo o mundo estava sofrendo com aquele, combate…Não podia mais ficar parado, todos seus planos para parar Loki haviam falhado, mas ele ainda estava lá..tinha o dever de defender este mundo, aqueles seres confiaram a ele suas desejos e suas preces, tinha que fazer algo e agora!

.

Njord: Frey!

.

O deus fertilidade surge atrás de seu pai em um raio de luz.Ele estava empunhando sua espada e vestia sua armadura. Estava tão pronto para a batalha quando seu pai

.

Frey: Sim, meu pai!

.

Njord empunha seu cetro da tempestade, e convoca sua própria Disna(a vestimenta protetora dos Vanir).

.

Njord: Vamos acabar com esta luta! Temos que expulsar Loki daqui e conter Raam

.

Frey não poderia contestar uma ordem tão direta do pai, mesmo sabendo que este não possuía um plano concreto, além disso ele também não aguentava mais, ficar parado!

.

Frey: Sim!

.

Porém antes que os dois deuses pudessem ir até a batalha alguém se coloca na frente deles…O deus primordial dos oceanos, o pai de todas a Wave Nikr e companheiro de Raam, Aegir.

.

Aegir: Não posso deixar que interfiram!

.

Aegir estava num estado deplorável, fora ele quem havia segurado Raam todo este tempo, sua Disna estava rachada em vários lugares, e mesmo sendo um deus demonstrava sinais de exaustão. Porém sua expressão demonstrava tanta raiva e determinação quanto sua companheira

.

Aegir: Terão que passar por mim se quiserem chegar até lá! Vocês não tem o direito de interferir, Raam passou todo este tempo vendo nossas filhas sofrerem e até mesmo lutarem entre si…sem poder fazer nada! Tudo porque você pensou que poderia enganar o deus da trapaça! Ela tem todo o direito de lutar por nossas filhas e vocês não tem o direito de inferir, nenhum de nós tem!

.

Njord deduz algo aterrador pela fala de Aegir

.

Njord: Aegir você libertou Raam não foi?

.

Aegir possui a voz de tristeza e pesar, ele sabia que o que havia feito era horrível, e que poderia significar a destruição desde e talvez de todos os nove mundos

.

Aegir: Eu não podia mais observar enquanto ela sofria! Sofria por causa dos erros e da pretensão de vocês! Foram vocês causaram isso tanto quando eu, se é para mundo acabar dessa forma… que seja, mas eu lutarei agora pelo que eu acredito…Lutarei para impedir o sofrimento da minha companheira e das minhas filhas, não vou fazer mais parte de suas maquinações!

.

Njord e Frey hesitam, eles não querem lutar com Aegir, um aliado, um Vanir assim como eles…Além disso agora já haviam percebido que não tinham o direito de interferir.

.

—————————————————

.

Mesmo Loki havia ficado atordoado com o grito de Raam, não sabia mais o que fazer para enfrenta-la, seus golpes não estavam mais fazendo efeito, e a deusa estava ficando enfurecida de uma forma perigosa, pela primeira vez em muito tempo não tinha  certeza de como prosseguir. Ao pressão em volta do corpo de Driffa era tão grande que não conseguia se mexer. Poderia deixar tudo como estar e fugir, mas o deus não poderia deixar esta derrota ocorrer, muitos entre seus aliados já estavam duvidando dos seus métodos, o que deveria fazer?

Porém antes que pudesse se decidir o deus é Atingido novamente por um raio de Raam

Seu corpo é jogado para trás, até bater numa montanha, o que não é o suficiente, para conter a força, o raio faz esta quebrar-se no meio e o corpo de Driffa continua a voar, o corpo bate e varias formações pelo caminho, florestas, vulcões, montanhas geladas , lagos e rios de lava, nada parece conseguir parar o avanço do raio, de fato ele dá uma volta completa em todo o Vanaheim até chegar, novamente a Raam. Ela então usa seu grande punho e dá um soco no corpo de sua filha o que a joga para baixo. A Deusa leva o corpo de Driffa até o fundo do oceano, o atravessa e continua descendo até bater em algo que consegue finalmente parar seu avanço. Trata-se do ramo cósmico da Yggadrasil,o  centro cósmico o Vanaheim. Ao bater neste local o corpo de Driffa é desintegrado e reconstruído, pela energia do caos de Loki, só para ser destruído novamente,  isso se repete milhares de vezes, mas ainda assim Raam não para de pressiona-lo

.

Driffa: Sua idiota não importa quantas vezes destruir este corpo enquanto houver o caos eu poderei reconstruí-lo e você não pode atingir…

.

Neste momento no Helheim————————————————–

.

Loki ainda esta com sua mão sobre a cabeça de Hilda, para poder assim controlar sua irmã. Porém algo estranho começa a acontecer, o corpo da senhora de Asgard começa a ficar cada vez mais quente. Depois ela é envolvida por um teia cósmica. Só então Loki percebe o que esta acontecendo

.

Loki: Não me diga que…..

.

Os olhos de Hilda, que até a agora estavam fechados, se abrem junto com sua boca. Uma grande luz azul marinho se propaga deste.  Esta atinge e começa a feri-lo.

.

(Loki): Isso é impossível! Raam esta usando a ligação entre Hilda e Driffa para me atingir … Ela pretende selar o corpo de Driffa? …Não, não é só isso! Ela quer me destruir!  Mesmo que tenha de destruir toda a Yggadrasil no processo! Tenho que fazer algo!

.

A algum tempo antes disso no palácio Vahalla————————-

.

Landon e Alberich XIII se encaravam, o guerreiro antigo estava entre o marina e os cavaleiros  caídos, e logo atrás estão Atena e Skadi. O único cavaleiro que ainda esta consciente Shiryu, este não pode deixar de questionar as intenções  do guerreiro Antigo

.

Shiryu: Alberich…o que pretende! Se acreditava que poderia enfrenta-lo sozinho porque não interferiu antes!

.

Alberich mantém seu olhar fixo em Landon, ao dar a resposta

.

Alberich: Não me culpe pela precipitação de vocês, além disso eu gosto de conhecer meus adversário antes de enfrentá-los.

.

Shiryu percebe então, porque o guerreiro havia ficado parado, se pudesse levantar seu punho ele com certeza golpearia Alberich

.

Shiryu: Esta dizendo que nos usou para conhecer os movimentos de Landon!

.

Alberich não muda sua expressão

.

Alberich: Eu tenho experiência suficiente para  saber quando é o momento de observar e quando é o  momento de agir, além disso eu não deixei nenhum de vocês morrerem. Não foi? E se me lembro bem eu acabo de salvar sua vida! Então pare de reclamar!…Eu apenas fiz o que achava necessário para atingir a vitória!

.

Landon não pode deixar de achar graça na fala do guerreiro antigo

.

Landon: Hum…Garantir a vitória? Você acha mesmo que pode me vencer? Por favor, Alberich. Você nem foi capaz de derrotar sua discípula…Eu observei a sua luta , sei que só está vivo porque ela permitiu! Você não passa de um guerreiro fracassado

.

Alberich não se deixa levar pela provocação de Landon

.

Alberich: Está dizendo que sou fracasso, por ter sido superado pela minha discípula? Ora o fato de Inua ter me superado, só mostra que eu a ensinei muito bem. Além disso você não se compara a ela! Inua lutava com suas próprias forças, enquanto você não passa de um traidor e um ladrão de almas!

.

Landon se sente ofendido pela insinuação do guerreiro. Quem era ele, para julgar seu caráter?

.

Landon: Acredita que estas almas que eu conquistei com meu esforço, não me pertencem.

.

Alberich: Claro que não…. Se este poder fosse realmente seu não seria tão fácil lacrá-lo!

.

Landon não pode deixar de ficar apreensivo com a insinuação do guerreiro antigo.

.

Landon: O que quer dizer?

.

É nesse momento que Landon percebe que algo está errado, ele não consegue mais sentir seus espíritos de dragões, sente que não pode mais convoca-los ou usar seus poderes. Pela primeira vez em muito tempo ele se sente sozinho.

.

Landon: O que você fez?

.

É neste momento que o marina se lembra de como o guerreiro parou seu golpe contra Shiryu. Naquele momento galhos cósmicos envolveram seus dragões e os empurraram de volta para a fenda dimensional de onde estes saíram

.

Landon: Naquele momento você…

.

Alberich cruza os braços e sorri, se fecha seus os olhos e deixa escapar uma pequena risada de satisfação. Depois abre seus olhos e fala com orgulho

.

Alberich: Enquanto observava sua luta percebi que você se conectava a vários dragões, mas nunca usava o poder de dois dragões ao mesmo tempo, foi então que entendi. Um espírito humano não poderia aguentar tantos espíritos conectados a ele! Mas você dribla isso mantendo os dragões em outra dimensão, assim a sua ligação entre o seu espírito e o deles  se torna mínima e não exige tanta energia, quanto você precisa usar um espírito, você o traz para esta dimensão e se conecta inteiramente a este.Eu usei os galhos cósmicos da Yggdrasil para bloquear a ligação mínima que você mantém com os espíritos dá outra dimensão, assim você não  pode usar o poder destes, agora você depende apenas de sua própria força, que pelo que lembro é bem menor que a minha

.

Alberich XIII se mostrava bastante orgulhoso de seu feito, seu cosmo era calmo porém imenso e assustador. Até mesmo Atena e Skadi estavam impressionadas com o feito e engenhosidade do guerreiro. Porém Landon não parecia estar preocupado com sua aparente desvantagem. Ele fecha os olhos por um segundos como se quisesse conferir algo, depois os abre e fala num tom desafiador

.

Landon: Hum… Se pensa que sou fraco sem meus dragões esta muito enganado! Afinal eu sou o líder do generais marinas! Agora eu vou te mostrar a minha força original!

.

Landon empunha sua espada e aumenta seu cosmo, sua aura original é azul marinho, como o fundo do oceano. Alberich também se coloca em posição de luta empunhando suas duas espadas pequenas, sua aura cósmica é verde como a floresta.

Os guerreiros saltam  e se chocam no meio do caminho, eles se mantém pressionado suas armas lâmina contra lâmina. A força dos dois parece estar equilibrada, porém aos poucos Landon começa a ganhar vantagem. O cosmo do general marina começa a tomar a forma de um dragão, um dragão marinho! Alberich fica confuso.

.

(Alberich): O que é este dragão, não é uma manifestação cósmica, é um espírito! Mas como! Eu lacrei todos espíritos draconianos dele!

.

Landon aumenta seu cosmo e empurra Alberich para trás, o guerreiro logo  se estabiliza e assume uma posição defensiva. Landon abaixa  sua arma e sorri, o dragão marinho cósmico ainda o rodeia, a criatura de energia azul aproxima a sua cabeça ao ombro do marina e este a acaricia com umas das mãos

.

Landon: O que achou dele? Este é o Leviatã o dragão marinho original

.

Alberich: Como você estar mantendo a ligação com este espírito?

.

Landon: O espírito do Leviatã é o espírito que dá vida à escama de Dragão Marinho, todo ser que é escolhido por esta escama adquiri uma ligação com este espírito, no primeiro momento esta ligação e fera ficam dormentes mas quando o general aprende a controlar a fera ele atinge o verdadeiro poder e general marina.  Você não pôde bloquear a minha ligação com o Leviatã porque ele esta ligado diretamente a minha escama e ao meu cosmo.

Landon se coloca em posição de ataque e aumenta seu cosmo, o Leviatã também se agita, seu corpo é parecido com o de um serpente marinha, possui dois pares de longas barbatanas, uma cabeça alongada e uma cauda grande que possui uma grande barbatana em forma de losango na ponta

.

Landon: Agora verá a verdadeira força do dragão marinho! DEEP TERROR(TERROR DAS PROFUNDESAS)

.

O Leviatã avança contra o guerreiro, a fera é logo rodeada por um redemoinho cósmico e desaparece no meio deste, o grande redemoinho avança e evolve o guerreiro antigo completamente, jogando para cima. Alberich sente a pressão cósmica  de todos os lados, não consegue se mexer, só consegue ver o interior do remoinho. Logo uma grande sombra passa por traz dele, é o leviatã, a criatura estava dentro do redemoinho, estava espreitando uma presa. A sombra logo desaparece, Alberich sabe que precisa fugir, mas não consegue se mexer, sente medo, não sabe de onde o ataque virá, não sabe quando ele vai ocorrer, mas sabe que está vulnerável. Então o Leviatã surge, a fera parece ter aumentado seu tamanho pelo menos uma dez vezes, uma boca cheia dentes esta aberta e pronta para engolir Alberich, e ele não pode se defender.

.

Alberich:AAAAAAAAAHHHHHHH!!!!

.

De fora do redemoinho só é possível ouvir o grito de terror e dor do guerreiro, então do topo do redemoinho o Leviatã salta. Landon  com olha para a cena com satisfação pensando que vitória era certa.

Porém neste momento o Leviatã é envolvido por galhos cósmicos verdes e se desintegra, o mesmo ocorre com o redemoinho. Alberich surge dos meio dos restos do golpe do marina e flutua até o solo.  Seu cosmo é gigantesco e assustador, porém muito equilibrado

.

Landon: Como?

.

Alberich não possui raiva da sua fala somente superioridade e desprezo

.

Alberich: Acha mesmo que eu perderia para alguém como você? Um guerreiro que traiu seu deus  e sua família em troca de poder?  Um ser que escraviza espíritos de criaturas inocentes, e as força a lutar ?… Landon você perturba o equilíbrio deste mundo e como guerreiro da Yggdrasil é meu dever puni-lo com o maior poder!

.

O cosmo de Alberich toma a forma de uma grande arvore, esta possui inúmeros galhos e nove ramos principais, ponta de cada um destes ramos existe um circulo, no interior de cada um destes é possível ver uma  parte de cada um dos nove mundo nórdicos. Logo percebe-se que se tratam de portais cada um deles levando para um do mundos.

Landon percebe o perigo e tenta reagir mas é tarde,  as raízes da grande

árvore cósmica  se entrelaçaram em suas pernas e estão subindo pelo seu corpo elas impedem que ele aumente seu cosmo, então ele não consegue ter qualquer reação. Os olhos de Alberich emitem uma luz verde e aterradora, sua voz é múltipla como se estivesse possuído por milhares de espíritos da natureza.

.

Alberich: A Yggdrasil é a árvore cósmica que liga todos os nove mundos nórdicos. A energia cósmica de cada um dos mundos passa por ela constantemente,  o dever do guerreiro de Yggdrasil é manter o equilíbrio dessa energia, quando existe um desequilíbrio o guerreiro pode usar uma arma final para destruir a fonte deste  e assim balancear a energia. A arma final consiste em concentrar a energia que flui pelos nove mundos em um único raio, esta é a….

.

Alberich junta as mãos na frente de seu corpo, os nove portais se juntam em fileira na frente do guerreiro

.

Alberich: Convergência dos Nove M…..

.

Antes que Alberich possa lançar o ataque, algo quebra sua concentração, todo seu cosmo entra em colapso, a árvore e os portais somem. O guerreiro cai de joelhos do chão, sente uma grande dor vinda do centro do seu sistema cósmico, esta logo se alastra por todo seu corpo! Não consegue de mexer ou mesmo gritar! A dor é constante e muito forte! Sente que a sua vestimenta também esta sofrendo, ela está mais pesada e mais apertada do que costume. Ele olha em volta e percebe que não é só que esta sofrendo, Skadi  da deusa do Gelo também esta de joelhos, ele percebe que os guardas do palácio Valhalla também estão sofrendo. Porém Landon não parece sentir nenhuma dor, assim como os cavaleiros , com exceção de um, Seiya de Pegasus estava se contorcendo mesmo estando desmaiado.

.

(Alberich): Algo esta afetando todos aqueles que possuem alguma ligação com a Yggdrasil…O que está acontecendo?

.

—————————————-

.

No Vanaheim Loki não é único que esta sofrendo com o golpe de Raam, todos os guerreiros deuses, as Wave Nikr, os Deuses Vanir e até mesmo as plantas e animais estão sofrendo por causa da energia que está passando pela Yggdrasil. O golpe de Raam esta afetando toda a árvore cósmica e todos os seres ligados a ela! Em todos os nove mundos, terremotos, tempestades, erupções vulcânicas, se alastram.

Njord logo percebe com terror o que está prestes a acontecer

.

(Njord): Se isso não parar a própria Yggdrasil vai ser destruída levando junto com ela todos os nove mundos!O que eu fiz!

.

Ao mesmo tempo no palácio Valhalla—————————————

.

Landon se aproxima de Alberich XIII, o guerreiro antigo não consegue se mover e o Marina não pretende desperdiçar esta chance

.

Landon: Parece que luta entre seus deuses esta afetando sua árvore cósmica

.

Landon podia sentir que sua ligação com seus dragões não estava mais bloqueada, seu poder tinha voltado ao normal, parece que mesmo ele sendo um desequilíbrio cósmico o destino estava ao seu favor.

.

Landon: Alberich  veja como sua posição é patética! De que adianta ter este poder que você possui se você ainda esta preso a vontade da Yggdrasil? Eu posso ser um desequilíbrio,mas pelo menos estou mais livre que você! Agora morra sabendo que você foi traído pela sua maior força

.

Landon levanta sua espada e então  a abaixa com a intenção de decepar a cabeça de Alberich

.

Porém algo o impede.Alberich conseguiu usar seu facão para impedir a espada de Landon

.

Alberich: Não….

.

Landon não entende como Alberich conseguiu força para se mexer

.

Landon: Como?

.

Alberich: Já disse que eu não perderei para alguém como você! SOUL FLAME(CHAMA DA ALMA)

.

Alberich usa sua outra mão para lançar uma labareda de sua chama em Landon, o Marina usa sua espada para se defender e se afasta

Alberich então se levanta, seu cosmo esta retraído mas ainda está intenso. O guerreiro então retira toda a Spirithrill de Yggdrasil de uma vez só, a chama infinita da sua alma ainda queimava em sua mão

.

Landon logo entende a intenção do guerreiro

.

Landon: Hum…então conseguiu se mexer porque retraiu sua ligação do Yggdrasil

.

Alberich confirma

.

Alberich: Sim e a Spirithrill de Yggdrasil só estava sendo um fardo, por causa do que esta acontecendo.

Alberich se coloca em posição de combate, com sua chama queimando em sua mão direita apontada para Landon, sua expressão é ainda mais determinada. Ele treme cada vez  que uma onda de dor passa pelo seu sistema cósmico. Porém mesmo assim não pretende desistir

.

Alberich:Você se engana em pensar que estou preso ao vontade da Yggdrasil. Eu possuo meu próprio poder! E é com ele que vou derrota-lo!

.

Landon aumenta seu cosmo e se põe em posição de ataque. Ele tem que admitir que julgou mal o guerreiro antigo. Alberich XIII era muito mais determinado do que pensava, mesmo sendo seu inimigo, tem que respeita-lo por isso

.

Landon: Devo admitir que você ainda é um grande guerreiro. Mas não pense que poderá vencer meu maior ataque, do jeito que está! DIMENSIONAL DRAGONS( DRAGÕES DIMENSIONAIS)

.

Com sua espada Landon abre uma grande fenda dimensional de onde saem vários dragões que avançam contra Alberich

.

O guerreiro se prepara para contra-atacar, tudo parece ficar mais lento. Ele soa frio. Apesar de não querer desmontar, estava em muita desvantagem! Ainda sentia uma grande dor toda vez que usava seu cosmo, e com este retraído só podia o golpe que vinda do interior do seu ser, a Chama da Alma! Teria que usa-las com toda sua força, mas quanto poderia mantê-las na máxima intensidade ? Não havia tempo para mais questionamentos, Alberich usa suas chamas verdes e forma uma parede de fogo, um escudo chato para protegê-lo do inúmeros dragões de energia. No inicio funciona, as feras espirituais não conseguem passar pelas chamas que queimam até mesmo as almas. Mas os dragões controlados não param de atacar e forçar, Alberich não sabe por quanto tempo aguentará,  outro agravante é o fato da sua dor cósmica estar aumentando com o uso constante das chamas! O que estava acontecendo com a Yggdrasil? Só os deuses poderiam causar este tipo dano a ela. Mas que deus teria força para afetar todos os ramos da árvore ao mesmo tempo….

A resposta logo surge na mente Alberich XIII o que o deixa ainda mais preocupado

.

(Alberich): Raam!

.

Enquanto isso no Helheim———————————–

.

Loki ainda sofria pelo ataque de Raam, por mais que aumenta-se seu cosmo ou mesmo seu poder caótico, não conseguia conter aquela força, tinha que fazer algo senão tudo seria destruído, inclusive ele! O deus sabia que só havia uma forma de para-la! Era estranho que apesar de ele estar ajudando os nove mundos com este ato, ele sabia que seria odiado por isso…Tudo bem! Ele estava acostumado com este tipo de tratamento. Com decisão em seus movimentos, Loki empunha a Lança Gungnir

.

Ao mesmo tempo no Vanaheim———————————————–

.

Na superfície do oceano que separava as nove ilhas era possível a ver um grande remoinho, no local onde Raam tinha passado na direção do centro do mundo, do centro do fenômeno era possível ver uma grande torre de energia azul marinha emergindo, esta se estendia até o céu  e além dele podia ser vista do espaço, a pressão que a torre causava estava desestabilizando todo o planeta.  Todos os seres estavam impotentes, sentiam muita dor e só se perguntavam quando isso teria fim, os deuses com terror sabiam que isso só teria fim quando tudo estivesse destruído! Nada poderia parar Raam! não no estado que ela estava.

Porém quando  tudo parecia perdido, um raio negro esperança surge no meio da torre de energia azul. Os guerreiros deuses olham para aquilo e reconhecem a força, o terror toma o lugar da dor em suas almas

.

Munin: Aquele raio é….

.

Hugin completa a irmã, medo entoava sua voz normalmente fria

.

Hugin: A luz corrompida de Loki!

.

Neste momento todos conseguem ouvir a voz de Loki em suas mentes

.

Loki: CORRUPED LIGHT(LUZ CORROMPIDA)

.

A torre de energia azul entra em colapso, os tremores param, o raio de energia negra cresce mais e mais, até tomar o lugar da torre de energia. Todas as criaturas podem ouvir um grande grito de dor, o som parece vir do interior de suas almas!

.

Raam: AAAAAAAAHHHH!!!!

.

O raio de energia negra some, no céu onde ele costumava estar surgem duas figuras. Uma delas é Driffa seu corpo ainda esta negro da energia caótica de Loki, ela estava empunhando uma replica negra da Lança Gungnir, a arma maldita estava cravada no peito da figura, esta era Raam! A deusa da morte marinha, estava com uma expressão muito mortal…dor e morte!

.

O grito final de Raam ecoa por todos os nove mundo como uma ferroada, o próprio cosmo da Yggdrasil se desestabiliza e sente o dano por perder uma deusa, um dos seus ramos mais poderosos! Todas as criaturas ligadas à árvore sentem a dor da deusa e depois sentem como se uma parte das suas almas, tivesse sumido.

.

Neste momento no Palácio Valhalla—————————

.

Alberich XIII sente a dor da morte da Deusa da tempestade, suas chamas perdem força e os dragões de Landon conseguem passar. O guerreiro antigo cai de joelhos ele sabe que esta condenado.

Porém no ultimo momento a Spirithrill de Yggdrasil se monta na sua frente e o protege da maior parte do ataque, mesmo assim Alberich recebe muitos danos e acaba por cair no chão inconsciente.

A Spirithrill da grande árvore ainda estava montada na frente do seu escolhido protegendo-o

.

Landon olha para cena com certa curiosidade.

.

Landon: Se quer protegê-lo que seja, meu verdadeiro objetivo é matar Atena e Skadi

.

O Marina se vira para as duas deusas, Skadi ainda sentia dor pelo ultimo de suspiro  de  Raam  e estava ajoelhada. Atena havia tomado a frente protegendo a deusa do gelo com o seu corpo.

.

Saori: Não pense que morrerei assim tão facilmente Landon.

.

Landon se prepara para o ataque

.

Landon: Nunca pensaria isso de você Atena, mas meu senhor Poseidon , me deu esta missão e pretendo cumpri-la custe o que custar.

.

Landon salta para realizar seu ataque, porém alguém segura sua espada.

.

????: Não deixarei que machuque a Saori!

.

Landon reconhece a voz mas não entende como ele pode estar de pé

.

Landon: Pégaso?

.

Saori: Seiya!

.

O cavaleiro de Pégaso estava de  pé novamente! Seiya segurava a espada de Landon com a mão esquerda, a lâmina estava cortando seus dedos, sangue corria por sua mão, mas ele não parecia se importar! Seiya não parecia estar completamente consciente, seus olhos emitiam uma luz azul, como se estivesse possuído por algum espírito.

O cavaleiro de Pégaso dá um soco no abdômen de Landon, a velocidade do golpe é tão grande que o marina não consegue esboçar nenhuma defesa. Ele jogado para trás, ao tocar onde o soco atingiu, sente dor e sangue, é então que ele percebe que existe um buraco na sua escama onde Seiya o atingiu. A vestimenta mais forte do exercito de Poseidon havia sido danificada muito seriamente com apenas um golpe!

.

(Landon): Que tipo de poder este homem tem?

.

Ao olhar para o cavaleiro, o marina sente algo que não sentia a muito tempo, medo

Seiya estava emanando um cosmo diferente, uma energia mais forte e pulsante, era o cosmo vital! O cosmo que um ser queimava quando só se lhe sobrava a própria essência da vida para queimar!

.

O cosmo de Seiya desperta os outros cavaleiros

.

Shiryu: Seiya?

.

O cavaleiro de Dragão se impressiona com o cosmo que o seu companheiro está queimando, aquele não era o cosmo normal de Seiya, era diferente era mais forte. Ikki também se impressiona’

.

(Ikki): Não tenho duvidas que Seiya esta queimando seu cosmo vital, mas é  diferente de quando eu fiz isso, está diferente até mesmo de quando ele despertou a armadura divina em Eliseos…espera a armadura

.

Ikki: Aquela armadura, a armadura de Seiya mudou o que aconteceu?

.

Hyoga também havia acordado e responde a Ikki

.

Hyoga: Aquela é a nova armadura de Pégaso! Quando Seiya renasceu com o fruto da Yggdrasil, sua armadura não o reconhecia, depois um guerreiro deus antigo surgiu e explicou que já que Seiya agora possuía  algo de nórdico em seu cosmo, a armadura também precisava de um poder parecido para poder reconhecê-lo, então ele deu ao Seiya um metal nórdico chamado Mithrill e armadura de Pegasus adquiriu esta nova forma. Desde de então o cosmo de Seiya ficou diferente, mas agora está ainda mais…

.

Shiryu confirma

.

Shiryu: Hyoga tem razão, o cosmo do Seiya nem parece o de um humano!

.

O cosmo de Seiya aumenta mais e mais sua armadura começa a brilhar, a vestimenta emite uma luz quase sagrada! Atrás dele surge uma imagem, inicialmente parece ser um Pégaso, mas há alguém mondando o corcel alado

.

Hyoga: Aquela imagem. Quem é aquele cavaleiro?

.

A face do cavaleiro montado no Pégaso fica mais nítida, ele esta vestido um armadura leve típica de um guerreiro grego, possui um capacete com asas e empunha uma lança e um escudo. Os cavaleiros caídos reconhecem a sua face

.

Hyoga: Aquele rosto é o Seiya?

.

Shiryu: Não, só se parece com ele!

.

Saori também vê a imagem, ela está ainda mais impressionada com o cosmo que Seiya esta demonstrando.De súbito uma imagem vem a mente do da deusa, era uma pintura que seu avô possuía em sua casa, retratava um herói grego, aquele que foi capaz de domar o Pégaso

.

Saori: Aquele é Belerofonte!

.

Memórias desconexas surgem na mente da reencarnação da deusa Atena, todas elas relacionadas ao diferentes cavaleiros de Pégaso , nas diferentes gerações, todos eles fizeram muita diferença nas batalhas que participaram e sempre próximos à Atena…Com essa serie de imagens uma pergunta surge na mente da deusa

.

(Saori): Mas porque? Porque o cavaleiro de Pegasus, foi sempre tão próximo das minhas vidas passadas e de mim?

.

Saori podia sentir que a resposta estava em suas memórias antigas e tinha alguma relação com Belerofonte, mas este não o momento de pensar nisso não momento tão tenso.

.

O cosmo de Seiya atinge um pico sua armadura brilha intensamente e adquire uma nova forma! Mais grandiosa até mesmo que a armadura divina de Pégaso! O capacete é maior e lembra os guerreiros deuses, cobrindo toda a cabeça do cavaleiro, as asas são maiores, um grande escudo com um Pégaso desenhado surgiu em seu braço esquerdo, enquanto o braço direito possui um prolongamento em forma de ponta de lança. Até mesmo a voz de Seiya mudou ela esta mais imponente, quase divina!

.

Seiya: Não permitirei ameace Atena!

.

Landon esta completamente paralisado pelo novo poder de Seiya, sente não pode fazer nada para escapar ou se defender

.

Seiya: Pégaso, junte sua força à minha!

.

Seiya retrai seu punho direito e prepara o golpe final de Pégaso

.

Seiya: PEGASUS NO HOSHI(ESTRELA E PÉGASO)!

.

Seiya atinge com seu punho carregado de cosmo e passa por ele, a constelação de Pégaso surge no peito do general Marina, de cada uma das estrelas surge um raio cósmico, a escama de Dragão Marinho de fragmenta ficando num estado deplorável e Landon cai muito ferido! Neste momento Alberich XIII acorda pelo cosmo de Seiya

.

Alberich: Este cosmo…parece o de Balder!

.

Enquanto isso no Vanaheim————————————————–

.

O Corpo da deusa caia no céu, todos estão catatônicos com a cena, não conseguem mexer nada além dos olhos, para acompanhar a queda. Com exceção de Goll, a filha verdadeira de Raam reage rápido para aparar a queda da mãe. Usando o controle possui sobre a água, cria um jato ascendente que acolhe Raam e a coloca na praia da ilha central.

O sol voltava brilhar sobre o Vanaheim a tempestade interminável havia morrido, porém a luz de um novo dia não trazia esperança para nenhum dos presentes. O que será que fariam agora que até Raam, uma deusa, estava morrendo?

Goll corre para junto da mãe, está aflita, desesperada! Não quer acreditar no que esta acontecendo, sua mãe não podia morrer! Ela era a única família real que  ela tinha. Lagrimas rolam pela sua face, ela tropeça mais de uma vez, sua pernas estão bambas, ao chegar em Raam, se ajoelha na areia.

.

Goll: Mamãe! O que aconteceu? Esta muita ferida!  Me diga que tenho fazer! Eu vou te curar!

.

Raam olha para a filha e sorri, a lança tinha atingido seu peito e perfurado seu pulmão, o sangue divino jorrava pelo ferimento. A perfuração era negra e veios negros saiam dela e se dividiam em milhares e de ramificações até desaparecer. O veneno da Luz Corrompida estava se alastrando pelo seu corpo. Não lhe restava muito tempo. A voz de Raam não possui os traços e ódio ao falar com a filha, esta mais serena e materna

.

Raam: Goll, minha pequena…não a nada o que fazer! Eu logo morrerei!

.

Goll se desespera não quer acreditar nas palavras da mãe

.

Goll: Não! Mãe, você não pode morrer! Você disse que nunca iria me abandonar!

.

Raam da um suspiro e passa sua mão pelo rosto da filha

.

Raam: E não vou Goll, eu continuarei viva em você, em todas as minhas filhas… Minhas filhas… Desculpe eu não consegui salvar sua irmã, quase destruí tudo mas não pude salvá-la… Goll você tem que ser forte tem que salvar a Driffa, você tem que cuidar de suas irmãs no meu lugar.

.

Goll: Mas mãe, eu não posso! Eu não forte como você ! Eu estou com medo!

.

Lagrimas rolavam constantemente pelo rosto de Goll enquanto falava,  não conseguia colete-las! Ela agarra a mão que ainda estava em seu rosto, como se quisesse agarrar o que lhe restava de vida!

.

Raam: Você é sim Goll! Você é forte! Mais forte que eu! Só precisa acreditar nisso!

.

Goll segura ainda mais forte a mão da mãe, o sangue que jorra de Raam já estava  sobre suas roupas e sua pele

.

Raam: Não chore Goll, não fique triste pela minha morte, desde que vocês se tornaram mortais, eu sempre tive que ver e sofrer quando vocês morriam! Mesmo sabendo que vocês voltariam! Eu não queria que vocês sofressem, não aguentava ver vocês se ferindo, agonizando e morrendo! Tudo que mais queria era compartilhar  este sofrimento com vocês! Afinal não é o desejo de toda mãe que a vida de seus filhos dure mais do que a dela? Estou feliz  por finalmente poder morrer antes de vocês!

.

Com estas ultimas palavras Raam fecha seus olhos definitivamente, a deusa da tempestade morre com um sorriso no rosto. Todas as Wave Nikr choram com a morte da mãe, algumas como Hrist tentam se manter fortes, outras como Gunnr não conseguem ficar de pé, June abraça Shun quase que involuntariamente. O cavaleiro segura a amada contra o peito tentando consola-la. Porém a que mais sofre é visivelmente Goll, ela se debruça, no corpo da mãe enquanto o corpo dela esfria, o sangue  divino da mãe a cobre completamente, Hagen se aproxima da menina e coloca a mão sobre o ombro dela, o guerreiro não sabe o que dizer

.

Neste momento Driffa ainda possuída por Loki, pousa na praia, a expressão da guerreira é de luto , nem mesmo o deus da trapaça conseguiu impedir que ela sofresse pela perda da mãe. Porém ele não se importava muito com isso. Usando sua telepatia o deus se comunica com todos os presentes

.

(Loki): Eu sabia que seria assim vocês estão tristes por ela morrer! Mesmo sabendo que ela iria destruir tudo! Enquanto eu salvei suas vidas!  Mesmo assim todos devem estar me odiando neste momento. Isso é meio irônico vocês serem salvos pelo seu inimigo e…

.

Goll não consegue mas ouvir aquilo

.

Goll: Cala a boca!
.

Loki fica impressionado com a insolência da menina

.

Loki: Quem é você, para mandar calar a boca sua pirralha!

.

Um cosmo sinistro começa a emanar de Goll enquanto ela se levanta, sua pele começa a ficar quente como água fervente, Hagen logo não consegue mais toca-la, o cosmo da menina o joga para longe. Porém o guerreiro se estabiliza no ar e cai na areia de pé.

.

Hagen: O lado divino de Goll despertou novamente! Como na nossa luta…mas algo esta diferente!

.

Hagen tinha razão, o cosmo de Goll estava maior e mais furiosos do que a da ultima vez! Seus cabelos ficam brancos, as tranças se desfazem, eles começam a flutuar por causa da energia que os circunda.Seus olhos liberam uma luz azul marinha, o sangue de Raam que cobria boa parte de sua pele começa a brilhar da mesma cor!

Hagen de protege da luz emanada com seus punhos, ele mau acredita nas palavras que saem de sua boca

.

Hagen: O sangue divino! Goll está absorvendo o poder de Raam!

.

A voz de Goll esta mais imponente, e tão assustadora quanto a de sua mãe, senão mais!

.

Goll: Quem eu sou?! Eu sou filha da mãe que você matou! Sou irmã daquela que dominou! Você é um manipulador que coloca os fatos ao seus favor. Foi você que causou tudo isso! Foi você que forçou Driffa a lutar contra nós! Foi por sua causa que nós tivemos que ataca-la! Foi você que provocou e enfureceu Raam ! Nossa mãe! Minha mãe!

.

O corpo de Raam se torna água, a qual  se move para trás de Goll  e se eleva envolvendo-a com num grande abraço materno! .O corpo da menina brilha e começa a mudar! Ela cresce se torna uma jovem, com um corpo parecido com a mãe. Seu cosmo cresce mais e mais! Supera os das Wave Nikr! Dos Guerreiros Deuses! Supera o sétimo e oitavo sentido chegando ao nível divino! Seu cosmo se toma a forma de galhos, os quais de fundem com os galhos da Yggdrasil do Vanaheim!

.

Hagen: Ela se tornou uma deusa!

.

Até mesmo Loki se impressiona

.

(Loki): O cosmo dela está muito elevado, e não para de crescer ! Se continuar assim ela vai superar a mãe!

.

Loki sabe que tem que fazer logo antes que isso aconteça, por isso prepara sua lança para atacar, porém antes que ele possa fazer isso, Goll lança um raio cósmico que congela a réplica da Gungnir, a lança cai no chão e mais gelo se forma a sua volta, formando um pedestal. Loki tenta fazer outra réplica, mas consegue, Goll conseguiu lacrar o poder da lança naquela com seu gelo!

Neste momento o corpo de nova deusa para de brilhar, Goll adquire uma aparência divina plena! Seu cabelos são brancos e ascendentes, seu rosto é o de uma jovem adulta, assim como seu corpo, o qual se assemelha ao de Raam, sua nova Disna também é parecida que a da mãe, porém possui duas  escamas de peixe que lembram asas, nas costas, e mais algumas menores espalhadas pelo resto do seu corpo. Seu olhos emitem um brilho ainda mais aterrador do que o de Raam.

.

Loki força Driffa a se colocar em posição de defesa.

.

Driffa: Droga..

.

Loki só tem tempo de dizer isso, pois nesse momento é atingido por um grande jato de água, sendo jogado para trás até bater na colina que circunda a praia. Goll continua atingindo-o com água por mais um tempo, seu poder é muito descontrolado e insistente. O jato que lança de sua mão logo toma a forma de um tentáculo gigante que pega Driffa e bate o corpo dela em vários locais, na areia, nas árvores, nas pedras que circundam a praia. Depois o joga para o oceano. Então Goll voa ficando acima da irmã e atira um grande raio cósmico contra ela . O raio afasta a água criando um grande remoinho e jogando Driifa contra o fundo do oceano. Os guerreiros logo percebem o que virá a seguir

.

(Hugin): Se continuar assim Goll irá atingir a Yggdrasil da mesma forma  que a mãe e dessa vez não haverá quem possa impedi-la!

.

Enquanto isso Siegfried ainda estava desacordado, na praia.Na sua mente surge uma voz, alguém que ele conhecia muito bem,aquela que ele jurou proteger custe o custar, o amor de sua vida! Hilda de Polaris!

.

Hilda: Siegfried, você precisa se levantar!

.

Siegfried não retoma a consciência, ele se vê na escuridão do seu inconsciente, Hilda esta próximo a ele, sua imagem é como de um fantasma, mas o guerreiro pode sentir que não era uma ilusão, Hilda estava realimente conversando com o seu espírito

.

 Siegfried: Hilda! Você esta bem?

.

Hilda sorri para seu guerreiro mais fiel o qual fica feliz de ver aquele sorriso novamente.

.

Hilda: Sempre se preocupando comigo não é? Eu admiro sua dedicação Siegfried. Sinto muito se fiz você sofrer por causa dela!

.

Siegfried balança a cabeça negativamente, Hilda nunca precisaria se desculpar para ele

.

Siegfried: Não se desculpe Hilda! Tudo que eu sempre quis foi lutar por você!

.

Hilda: Eu sei Siegfried e é por isso que preciso te pedir mais uma coisa, salve a minha irmã, salve a Driffa

.

Siegfried não estranha o pedido de Hilda e nunca pensaria em recusar, porém não sabe como atender este pedido

.

Siegfried: Mas Hilda eu…eu não sei como salvá-la, nem a espada Balmung conseguiu expulsar definitivamente Loki

.

Hilda concorda com seu guerreiro, ela fala com um grande pesar, não queria fazer isso mas era o único jeito!

.

Hilda: Eu sei Siegfried, enquanto a ligação entre nos duas existir, Loki continuará a possuir minha irmã através de mim e é por isso que você deve destruir essa ligação!

.

Siegfried se impressiona com a proposta de Hilda, destruir a ligação entre duas almas gêmeas era como destruir um ramo da Yggdrasil algo que nem os deuses deveriam poder fazer

.

Siegfried: Mas Hilda isso é…

.

Hilda completa Siegfried e sorri para ele, um sorriso da mais pura determinação. Por um segundo a imagem de Hilda se mescla com outra pessoa, Fimbul e depois volta ao normal

.

Hilda: Impossível? Não, isso só nunca foi feito!

.

Siegfried sorri, agora entende o que deve fazer e como, esta pronto para levantar, porém precisa perguntar algo a sua amada

.

Siegfried: Mas Hilda…será que sua alma e a Driffa aguentaram este tipo de golpe?

.

Hilda de aproxima do Guerreiro Deus, seu olhos azuis são puros e belos, mas também uma grande confiança, confiança no poder dela e dos seus guerreiros

.

Hilda: Não se preocupe Siegfried, eu não vou morrer com isso, você desafiou os deuses e seus companheiros para me salvar! Por você, eu vou resistir! Agora levante-se!

.

Hilda se torna um corpo luminoso e se funde a Siegfried. Neste momento o guerreiro acorda, seu corpo esta envolvido por um cosmo safira e acolhedor, é o cosmo de Hilda! Seus ferimentos negros desaparecem. Ele se levanta e olha para Fimbul que está deitado ao seu lado junto a Munin, a espada Balmung repousava no chão entre ele e os dois

.

Siegfried: Fimbul…Você também se feriu. Não se preocupem agora deixem tudo comigo!

.

Siegfried pega a espada Balmung do chão e começa a se dirigir para onde estão Loki e Goll, na sua frente estão os outros Guerreiros Deuses. Munin chama sua atenção

.

Munin: Siegfried o que pretende fazer?

.

Siegfried não se vira ele apenas aumenta seu cosmo em resposta

.

Siegfried: Todos vocês lutaram com bravura, eu me orgulho de ser companheiro de vocês, mas agora podem descansar! Eu vou acabar com isso!

.

Siegfried esta tão determinado que nenhum dos guerreiros tem coragem de questionar suas as intenções eles apenas abrem caminho e mostram com seus cosmos que possuem confiança em seu companheiro

.

Siegfried passa pelos guerreiros  e caminha até a beira d’água, para e olha para trás, a distancia estava boa, ninguém iria se ferir

.

(Siegfried): Tudo que peço é um minuto, um momento de sanidade, é tudo que eu preciso!

.

Siegfried aumenta seu cosmo de uma vez só! Sua aura cósmica aumenta mais e mais e então toma a forma de um dragão de duas cabeças

.

Siegfried: DRAGON AURA(AURA DO DRAGÃO), Sanne Dragen ( Dragão Verdadeiro)!

.

Com o estrondo cósmico Fimbul recobra a consciência

.

Fimbul: Siegfried não! Seu espírito não vai aguentar!

.

Era tarde demais, a Sprithrill de Siegfried já havia mudado, para forma do dragão verdadeiro. Seu cosmo transbordava e uma forma quase divina, a aura que o rodeava era dourada clara, quase branca, a espada Balmung parecia estar respondendo e à nova forma do guerreiro, ela estava rodeada por uma aura safira e pulsante. Apesar de tudo o guerreiro parece esta mais estável do que da ultima vez que usou a Aura do Dragão

.

(Fimbul): Siegfried está estável, ele não se tornou uma fera descontrolada, será que é o poder da espada? Não é outra coisa, outro cosmo esta estabilizando o poder dele…Será que é…Hilda?

.

A suposição de Fimbul parecia improvável, mas era verdadeira, Hilda estava apoiando Siegfried! Não havia outro jeito! A forma do Sanne Dragen era a que mais se aproximava do poder divino, só assim Siegfried poderia se aproximar de Loki e Goll

.

Siegfried voa como um raio de luz dourado.

Tinha que se manter focado! pouco tempo depois de assumir essa forma, ele percebera que não poderia manter sua sanidade plena, os espíritos dos dragões ainda eram muito bestiais, e não adiantava tentar controlar os impulsos das feras. Então pelo menos tinha que se manter focado em seu objetivo! Salvar Driffa e Hilda, destruindo a ligação entre as duas, não podia tirar essa ideia da sua mente, senão perderia o controle e se tornaria uma fera irracional!

Estava voando muito rápido, mas tudo parecia mais lento em sua mente! Só seu objetivo lhe importava, nada mais, precisava fazer isso, senão tudo estaria perdido. Estava quase chegando só um mais um pouco

.

Siegfried se aproxima da batalha dos deuses, o poder do Goll tentava afasta-lo, era difícil se manter voando. O cosmo da nova deusa parecia  atingi-lo como uma onda de choque constante, um poder que era impossível de ver, ouvir ou mesmo sentir, apenas seus sétimo sentido percebia a onda! A onda que estava lhe jogando para trás afetava diretamente seu cosmo! Sua escamas draconianas bloqueavam um pouco do poder mas não inteiramente. A onda estava impedindo que se aproxima-se. Siegfried aumenta seu cosmo para avançar, porém quando faz isso também aumenta a força da fera em sem sua mente. Quanto mais poder do dragão o guerreiro usa, mais forte e mais influente este fica! É difícil se manter focado, o objetivo se torna muito complexo. Então ele tenta simplifica-lo, Salvar Hilda e Driffa!

.

Quanto mais o guerreiro avança mais ele tem aumentar seu cosmo e mais influente o dragão fica.

Salvar Hilda e Driffa!

Mas quem era Driffa? Siegfried não tinha mais certeza, só sabia que tinha  continuar avançando.

Finalmente ele chega no raio cósmico que Goll estava atirando contra Loki, então desse adjacente a este se aproximando de Driffa, a proximidade com o raio cósmico começa e feri-lo, mesmo sua escamas draconianas começam a rachar! Seu corpo, mesmo protegido pelo sangue lendário, também sofre danos. Para manter avançando tem que aumentar mais o seu poder, sua visão começa a ficar turva, seu objetivo volta a se tornar complexo. Ele o simplifica: Salvar Hilda!  Mas não tinha certeza de quem era Hilda! Só sabia que se importava esse ser, não tinha certeza o que era ela, não sabia o que ELE era mas, sabia que Ela era importante, que tinha que salvá-la!

.

Ele já consegue ver Driffa, mas sua visão esta cada vez mais turva, assim como seus pensamentos!  Salvar Hilda..Salva ela ! Mas o que é “salvar”? Não importa! Só tinha que fazê-lo!

.

Siegfried fica próximo de Driffa, próximo o suficiente! Mas não sabe o que deve fazer. Tinha que salvar ela! Mas como! Não conseguia pensar! A força a sua volta  era muito grande! Tinha que usar o máximo do seu poder cósmico para manter inteiro e parado, não conseguia se mexer, sua visão turva estava sendo ofuscada pelo raio cósmico, não sabe quanto mais vai aguentar! Mas só consegue pensar em se manter ali, tinha ficar lá para fazer algo muito importante, mas o que?!Como?!

.

Então sua mente desiste e ele perde a consciência! Tudo se torna, negro e ele não sente mais dor, não ouve mais nada, nem seu sétimo sentido consegue perceber alguma coisa. O guerreiro nem tem certeza se ele existe!

Só existe a escuridão, e logo nem isso existe! Nada existe! Tudo é vazio!

.

Então uma luz surge uma luz safira! Siegfried consegue vê-la! Consegue alcança-la. A fonte da luz era um galho, um galho de árvore longo, não podia ver o fim ou o inicio dele!

Mas ele estava lá!

Ele iluminava o vazio!

Ele era tudo que importava!

.

Então uma palavra surge em sua mente.De inicio ele não consegue entender , mas ela se repete mais uma vez e mais outra, até que  consegue compreender

.

Corte!  Corte o Galho! Corte a ligação!

.

Siegfried o olha para sua mão direita e com a luz do galho ele consegue ver a Espada Balmung!

.

Corte a Ligação! Corte-a Agora!

.

Siegfried obedece e tenta cortar, o galho mas este é muito resistente a espada Balmung apenas abre uma fenda nele, desta uma grande onda de energia, que joga o guerreiro para trás. É neste momento que ele percebe que esta usando sua Spirithrill, a voz da ordem volta a surgir, dessa vez é acompanhada por uma face, fantasmagórica. Trate-se da face de Hilda mas Siegfried não consegue reconhecê-la direito

Hilda: Corte a ligação ! Siegfried!

.

A face some assim que a frase acaba de ser pronunciada.

Siegfried vai tentar cortar o galho novamente quando estranhamente o este fica mais escuro, então surge outra face fantasmagórica, esta é praticamente igual a Hilda, porém tem uma expressão mais sofrida. É  Driffa!

.

Driffa: Não Siegfried, não corte! Você vai me destruir!

.

Siegfried não consegue diferenciar as duas  e por isso fica muito confuso. A duas faces sussurram na mente, Siegfried não consegue se decidir, ele tenta tampar os ouvidos mas vozes continuam a falar com ele. Hilda continua a insistir para cortar enquanto Driffa pede para que ele não faça isso. O guerreiro não sabe o que fazer, então por um momento a face de Driffa torna-se negra! Um instinto surge em Siegfried, um instinto de sua parte ainda humana que diz para ignorar a voz de Driffa.

Então o guerreiro segura a espada novamente e tenta cortar o galho mais uma vez. Porém este ainda se recusa a partir!

Uma onda de choque começa a sair e a ferir o guerreiro, a onda se torna cada vez mais forte! É tão poderosa que começa a destruir a vestimenta do guerreiro. Siegfried perde o elmo, as asas o peitoral, e logo todo resto. Nem sua proteção lendária parece resistir a energia que a ligação esta liberando e mesmo assim o guerreiro não consegue corta-lo!

Siegfried esta cansando com dor em todas as partes do seu corpo. Quase desmaia novamente!

Porém no meio de toda essa dor ele sente uma força nascer, uma força que vem do cosmo mas não do seu centro vital, mas de outro lugar! Um poder que vem da ligação dele com sua amada! Um poder que parece ser além do seu sétimo, ou oitavo sentido, algo mais forte do cosmo vital!

Essa força é única coisa que mantém Siegfried lutando, a ligação dele lhe dá uma energia.Lhe dá motivo e força para lutar.

A energia se espalha por todo corpo de Siegfried e então para a espada Balmung!

Com esse novo poder o galho se parte e tudo volta a ser o vazio!

.

Um grito de raiva pode ser ouvido, de inicio ele é alto, muito alto! Todos param para ouvi-lo! Até mesmo Goll para seu ataque para o ouvir o protesto!

.

Loki: NNNNNNNNÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOOO

.

O protesto continua ecoando pelo Vanaheim por um bom tempo, aos poucos ele vai ficado mais e mais baixo até sumir.

Do redemoinho que o ataque de Goll tinha criado surge um ser, ele era feito e de gelo brilhante, e estava com alguém nos braços

.

O ser  para de brilhar e então é possível reconhecer de que se travava.

.

Era Driffa! Ela estava com Siegfried nos braços!

.

Fim do capitulo 46 e da 2ª saga

Leviatã: Era uma serpente marinha gigantesca que aparece no velho testamento da Bíblia, ele parece ter sido baseado , nas antigas lendas Sumerias. Como o autor de Saint Seiya, não deu um nome especifico para o monstro representado na Escama de Dragão Marinho, eu escolhi o leviatã pela fama dele e pela forma que é representado, na maioria das vezes

2 respostas para Capitulo 46

  1. Leandro disse:

    Foi um capítulo monumental em todos os sentidos. Aliás, toda essa segunda saga da Era do Ragnarok o foi.
    Só citando rapidamente o que aconteceu e que agora de antemão, puxando pela memória, consigo me recordar:
    As batalhas eletrizantes envolvendo os Guerreiros-Deuses e as Wave Nikrs…
    Os Guerreiros-Deuses de Thor (nunca me esquecerei de Nimbul e Inua) e tudo mais que envolveu a suposta morte do Aesir do Trovão…
    A participação de Seiya e Cia (Ikki sendo mais do que nunca o “Chuck Norris” do quinteto de Bronze) até culminar nessa apoteótica revelação do Pégaso nesse capítulo final…
    Os Guerreiros-Deuses antigos e aqui não tem como deixar de mencionar o Alberich XIII que por diversas vezes roubou a cena literalmente.
    Landon. O Marina de Leviatã com sua presença marcou a participação de Poseídon. Desde o seu poder, limitações e caráter foi um personagem estupendo. Um dos melhores de toda a fic com certeza.
    A redenção de Hugin (Dimitri) em meio à comovente ligação que ostenta para com sua irmã.
    E por falar de Hinna (Munin), esta em sua relação com Fimbul, chamou a atenção pela sua humanidade.
    Não poderia de deixar de citar outros com participações mais modestas como Frei e seu pai que muito contribuíram para o sucesso dessa saga.
    E se eu vivia a me queixar de Loki por ele não convencer como vilão o autor, sempre paciente comigo e meus comentários, meu deu a melhor das respostas: com seu trabalho e dedicação desenvolvendo o personagem de uma forma magistral que jamais eu acalentaria que fosse possível (aplaudo de pé!)
    Cenas como a do Fimbul rompendo o campo de força ou sua batalha épica com Siegfried jamais deixarão minha mente.
    Assim como esta aparição de Raam. A colosso do mundo nórdico me arrebatou em sua luta com Loki e eu me senti insignificante tal qual o Deus da Trapaça diante de sua majestade e terror. Mais surpreendente ainda foi sua destruição. E como Goll se serviu dos despojos de sua mãe para tornar-se algo ainda mais aterrador.
    Por muitas vezes nessa saga o autor nos brindou com sua criatividade, e porque não dizer genialidade, nos brindando com revelações bombásticas como o fato de Hilda ter uma irmã Gêmea. Ou com tudo envolvendo Yggdrasil. As adaptações nórdicas atribuídas a Seiya e June. A nova vestimenta de ametista de Alberich que compensou, e muito, sua ausência muito sentida por mim na primeira saga. O poder dos espíritos draconianos presentes em Fimbul e Siegfried e claro, a artimanha de Landon em usar de algo parecido. O poder aterrador de Loki provindo, dentre tantas coisas, do caos. Ataques como a força conjunta das Wave Nikrs foram de encher os olhos.
    Para encerrar…
    Se tenho algo a lamentar dessa saga é o seu final. Queria que não acabasse nunca e tenho um pedido ao autor, a quem considero um amigo:
    Se puder, e quando puder, me mande por E-MAIL todo o material da primeira e segunda saga da Era Ragnarok. Definitivamente quero guardar essas jóias em meu acervo particular de Saint Seiya.
    Abraços.

    • fimbul55 disse:

      Oi leandro td bem?
      Obrigado por ter comentado meu capitulo e desculpe por demorar para responder seu coment enfim aq esta minha resposta

      “Foi um capítulo monumental em todos os sentidos. Aliás, toda essa segunda saga da Era do Ragnarok o foi.”
      Muito obrigado pelo elogio realmente eu também achei que foi um grande capitulo digno do capitulo final da segunda saga

      “Só citando rapidamente o que aconteceu e que agora de antemão, puxando pela memória, consigo me recordar:
      As batalhas eletrizantes envolvendo os Guerreiros-Deuses e as Wave Nikrs…”
      Realmente não tivemos muitas lutas legais em toda essa saga , me dediquei muito em cada wave nikr e gostei como cada uma saiu

      “Os Guerreiros-Deuses de Thor (nunca me esquecerei de Nimbul e Inua) e tudo mais que envolveu a suposta morte do Aesir do Trovão…”
      Os guerreiros deuses de Thor também foram um desafio, queria que eles ficassem a altura dos de Odin, por isso tive que ser muito criativo com cada um deles

      “A participação de Seiya e Cia (Ikki sendo mais do que nunca o “Chuck Norris” do quinteto de Bronze) até culminar nessa apoteótica revelação do Pégaso nesse capítulo final”
      Foi dificil trabalhar com Seiya e cia pq eles são os principais do original e naturalmente são bem desenvolvidos, então queria que eles ficassem bons, fico feliz que tenha gostado da participação deles

      “Os Guerreiros-Deuses antigos e aqui não tem como deixar de mencionar o Alberich XIII que por diversas vezes roubou a cena literalmente.”
      Gostei muito de trabalhar com Alberich XIII, para mim ele é um guerreiro deus unico e peculiar, um Alberich que achou um proposito na vida, mas ainda manteve sua personalidade unica

      “Landon. O Marina de Leviatã com sua presença marcou a participação de Poseídon. Desde o seu poder, limitações e caráter foi um personagem estupendo. Um dos melhores de toda a fic com certeza.”
      Com o Landon eu queria fazer um inimigo diferente, alguém que respeita todo o adversário, mesmo sendo extremamente poderoso, queria que tivesse um caráter bom, mesmo sendo um vilão, o resultado ficou muito bom acredito

      “A redenção de Hugin (Dimitri) em meio à comovente ligação que ostenta para com sua irmã.
      E por falar de Hinna (Munin), esta em sua relação com Fimbul, chamou a atenção pela sua humanidade.”
      O trio de novos guerreiros, são os principais da minha fic, por isso eu tento trabalhar muito bem com eles, gostei como a relação deles ficou

      “Não poderia de deixar de citar outros com participações mais modestas como Frei e seu pai que muito contribuíram para o sucesso dessa saga.”
      Njord e Frei são tradicionalmente deuses mais pacificos, por isso nao faria muito sentido eles lutarem tanto,por isso eu os usei como personagens de apoio(o que estranho para um deus XD)

      “E se eu vivia a me queixar de Loki por ele não convencer como vilão o autor, sempre paciente comigo e meus comentários, meu deu a melhor das respostas: com seu trabalho e dedicação desenvolvendo o personagem de uma forma magistral que jamais eu acalentaria que fosse possível (aplaudo de pé!)”
      Obrigado cara eu bem sei que penei muito para melhorar o Loki, afinal ele é o principal vilão da fic, fico feliz que ele tenha ficado tão bem no final

      “Cenas como a do Fimbul rompendo o campo de força ou sua batalha épica com Siegfried jamais deixarão minha mente.”
      Realmente acho que cenas nunca sairão da minha mente tb! Fiquei impressionado como elas saíram!

      “Assim como esta aparição de Raam. A colosso do mundo nórdico me arrebatou em sua luta com Loki e eu me senti insignificante tal qual o Deus da Trapaça diante de sua majestade e terror”
      A Raam foi realmente um desafio, pois eu fiquei quase toda saga falando sobre ela, e queria que ela ficasse tão colossal como eu tinha antecipado, que bom que consegui!
      .
      ” Mais surpreendente ainda foi sua destruição. E como Goll se serviu dos despojos de sua mãe para tornar-se algo ainda mais aterrador.”
      Admito que matar a Raam tão repentinamente não foi minha ideia inicial, mas acho que no final preferi assim já que pude mostrar todo o poder da Gungnir, além também de promover a Goll a uma deusa, um conceito que gostei muito porque sempre quis explorar isso de alguém virar um deus, o que seria necessário e quais seriam as consequências,gostei muito do resultado final

      “Por muitas vezes nessa saga o autor nos brindou com sua criatividade, e porque não dizer genialidade, nos brindando com revelações bombásticas como o fato de Hilda ter uma irmã Gêmea. Ou com tudo envolvendo Yggdrasil. As adaptações nórdicas atribuídas a Seiya e June. A nova vestimenta de ametista de Alberich que compensou, e muito, sua ausência muito sentida por mim na primeira saga. O poder dos espíritos draconianos presentes em Fimbul e Siegfried e claro, a artimanha de Landon em usar de algo parecido. O poder aterrador de Loki provindo, dentre tantas coisas, do caos. Ataques como a força conjunta das Wave Nikrs foram de encher os olhos.”
      Genialidade XD calma cara agora vc esta me deixando sem graça! XD Eu não acho que sou um gênio criativo, mas eu me esforço muito para fazer boas historias e acho pefiro assim, já que para mim o esforço vale mais do que o talento. Enfim é isso que eu acho. Fiquei feliz que tantas cenas marcaram vc

      “Para encerrar…
      Se tenho algo a lamentar dessa saga é o seu final. Queria que não acabasse nunca e tenho um pedido ao autor, a quem considero um amigo:
      Se puder, e quando puder, me mande por E-MAIL todo o material da primeira e segunda saga da Era Ragnarok. Definitivamente quero guardar essas jóias em meu acervo particular de Saint Seiya.
      Abraços.”

      Abraço cara! Claro que posso sim te passar a saga. Mas não fique triste, afinal ainda não acabou ainda temos e terceira saga, a saga do Helheim a saga decisiva! Logo escreverei ela . Mas antes quero abordar outra coisa, o que aconteceu no santuário,enquanto os cavs de bronze estavam longe! Espero que goste dessa historia que faça um comentario tão bom qto esse para ela!
      Obrigado
      E até a prox!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s